GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como funciona o mergulho de profundidade

Imagine descer centenas de metros usando apenas o oxigênio dos pulmões...

1. Temperatura ideal

O lugar deve ser escolhido com cuidado. Se a temperatura da água não ficar entre 27º C e 29º C, o mergulho é adiado. Se estiver mais quente, causa fadiga e, se for muito gelada, o atleta gasta mais energia, tem a respiração prejudicada e pode até ficar com hipotermia.

2. Aquecimento

Antes da descida, o nadador boia e tenta relaxar. Dessa forma, diminui a frequência cardíaca e obriga o corpo a consumir menos oxigênio. Com a respiração lenta e profunda, ele puxa bastante ar, prende nos pulmões e começa a nadar.

3. Postura de peixe

Nesta categoria (veja as outras na coluna ao lado), ele desce de cabeça para baixo, olhando para a frente. E postura é essencial: corpo reto e cabeça encostada no peito. Além de braços esticados para baixo, com as mãos juntas.

4. Questão de pressão

Quanto mais fundo, maior o perigo. Porque a diferença entre as pressões fora e dentro do corpo pode causar dor e até estourar os tímpanos do nadador. Ele pode usar a manobra de Valsava: com a boca fechada, tampar as narinas e forçar o ar para fora.

5. No fundo

A preparação para o mergulho pode demorar horas, mas a descida dura apenas alguns minutos. E, quando o atleta chega ao fundo, no ponto combinado com a equipe e que pode estar marcado no cabo, um medidor de profundidade emite um alarme.

6. A volta para casa

Assim como na descida, a rapidez da subida depende da experiência do atleta e da categoria que ele escolheu para o mergulho (veja abaixo). Ele pode até subir rápido, porque a pressão do ar nos pulmões do nadador é a mesma da superfície.

Mono-nadadeira: o atleta usa um modelo especial de nadadeira, que lembra a cauda das baleias e é mais eficiente do que os modelos comuns.

Lastro: para afundar mais rápido, utiliza um cinto grudado a um peso, chamado de lastro, que depende das medidas do nadador.

Os recordistas e as categorias

Herbert Nitsch: 214 m
País: Áustria
Modalidade: Sem Limites
Permite acessórios que aceleram a descida e a subida, como propulsores e balões de ar.

Herbert Nitsch: 142 m
País: Áustria
Categoria: Lastro Variável
O atleta usa o lastro durante a descida, larga o peso no fundo e sobe com ajuda do cabo.

Alexey Molchano: 125 m
País: Rússia
Categoria: Lastro Constante Com Nadadeira
Explicada neste texto, o atleta precisa descer e subir com o peso. Libera nadadeiras e cabo.

William Trubridge: 121 m
País: Nova Zelândia
Categoria: Lastro Constante Sem Nadadeiras
A única diferença entre esta categoria e a anterior é a proibição das nadadeiras.

William Trubridge: 101 m
País: Nova Zelândia
Categoria: Imersão Livre
O nadador mergulha sem nadadeiras ou lastro, apenas com a ajuda do cabo-guia.

Fontes: Carla Sue, mergulhadora competitiva; Geraldo Lorenzi, diretor do Laboratório do Sono, do Hospital das Clínicas; AIDA (Associação Internacional para o Desenvolvimento da Apneia); Guinness World Records.