GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Nosso quintal – Carta do Redator-Chefe

Sérgio Gwercman, redator-chefe

Quando a Abril lançou o projeto Planeta Sustentável, em 2007, imaginava que não poderia dar contribuição melhor ao ambiente do que colocá-lo em debate nas revistas da casa. Apresentar diferentes pontos de vista, mostrar os fatos, produzir edições como esta SUPER verde, dedicada à sustentabilidade. E assim permitir a você, leitor, formar sua opinião, decidir como agir. Era uma aposta no efeito multiplicador das boas idéias.

A tese se mostrou acertada. Tão acertada que a própria editora foi a primeira a sentir seu impacto. E o resultado é que 2008 acaba como um ano transformador para a Abril, que deu novos e importantes passos sustentáveis. Talvez você aí de fora não tenha percebido, mas esta é primeira boa notícia: as mudanças foram motivadas pelo desejo de mudar, não de fazer propaganda. “O que fazemos, fazemos por convicção”, diz Sidnei Basile, vice-presidente de Relações Institucionais. Na lista dessas convicções, está a assinatura do GHG Protocol, documento firmado por corporações que se comprometem a mapear e reduzir suas emissões de gases de efeito estufa. Também está a certificação de que o papel utilizado pela gráfica vem de florestas sustentáveis. E a inauguração da praça Victor Civita, que revitalizou uma área paulistana onde antes funcionava um lixão tóxico.

Mas a parte mais legal da história vem agora. Enquanto a direção da Abril se movimentava com ações que vinham lá do alto, funcionários faziam o movimento inverso. E se perguntavam o que fazer para tornar seu trabalho sustentável. Gente como a Georgia Barcellos, que organiza eventos e percebeu que poderia trocar motoboys por bikeboys para distribuir convites. Ou o Daniel Fernandes, engenheiro na gráfica, que desenvolveu um processo para reutilizar a água com solvente que sobra das impressões. Reginaldo Tiossi, do setor de transportes, levantou suas emissões de CO2. Depois, começou a reduzi-las. Hoje, ele faz entregas em São Paulo com uma frota leve movida a gás.

Era tanta gente se mexendo que daí nasceu um grupo, batizado de Agenda Ambiental. Ali estão pessoas que fazem porque querem, não porque o chefe mandou. A idéia da Agenda é trocar idéias. E depois tentar implementá-las. Valem ações simples, como melhorar a coleta reciclável no prédio da Abril. Ou ousadas, como encontrar um jeito de embalar as revistas com plástico biodegradável.

É inspirador saber que pessoas assim circulam pelos corredores desta empresa. Talvez você possa fazer o mesmo no seu trabalho, na faculdade. Porque 2009 está logo ali. E tomara que você também faça dele um ano transformador!