Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Os melhores assentos no avião para evitar infecções por vírus e bactérias

Vai pegar um voo na volta do Carnaval? Saiba o que fazer para evitar doenças transmitidas por gotículas no ar.

Por Maria Clara Rossini
Atualizado em 18 jan 2023, 12h06 - Publicado em 21 fev 2020, 17h35

Em períodos de surtos de doença, os aeroportos são os primeiros a perceber a epidemia. Foi assim com a gripe suína em 2009, com o ebola em 2014 e não foi diferente com o coronavírus: vários passageiros usando máscaras, com álcool em gel na mão e se afastando de qualquer um que solte o mínimo espirro.

Não é à toa. Espaços fechados e cheios de gente (vulgo avião) podem facilitar a disseminação desses vírus. Eles são transmitidos por gotículas de saliva que podem ficar em suspensão no ar ou se impregnar em superfícies. 

Pra onde quer que você vá, algumas medidas de segurança e higiene sempre devem ser tomadas para evitar qualquer tipo de doença em viagens.

Faça o básico

1. Evite tocar nos olhos, nariz e boca.

2. Lave as mãos com frequência.

Continua após a publicidade

3. Cubra a boca com um lenço na hora de espirrar.

Para os mais inquietos, é possível se prevenir ainda mais. O local do assento no avião pode determinar se você tem mais ou menos chances de pegar uma doença caso viaje com um paciente contaminado por um vírus ou bactéria.

Não tem como adivinhar se você vai cair ao lado de alguém infectado. A solução é entrar em contato com o menor número de pessoas possível. Um estudo de 2018 da Universidade Emory, nos Estados Unidos, analisou a movimentação de passageiros dentro de voos transcontinentais – quem levanta mais do assento, vai ao banheiro e se aproxima mais de outros passageiros. Veja o resultado abaixo:

.
(Design: Juliana Krauss / Ilustrador: Felipe Del Rio/Superinteressante)

Na dúvida, vai de janela

Segundo o estudo, quem senta na janela tem cinco vezes menos encontros com outros passageiros, o que diminui as chances de entrar em contato com alguém infectado. O motivo pra isso é intuitivo: quem senta na janela levanta bem menos do assento e só fica em contato próximo com quem está sentado ao lado.

.
(Design: Juliana Krauss / Ilustrador: Felipe Del Rio/Superinteressante)

Caso não consiga um lugar na janela, sentar longe do banheiro também é uma boa alternativa. É por lá que os outros passageiros mais transitam, o que também aumentam as chances de ficar muito perto de alguém doente. Mesmo sentando na ponta, as pessoas acabam passando rápido pelo corredor, então o tempo de contato é muito pequeno para transmitir vírus ou bactérias – as chances de contágio são baixas.

Continua após a publicidade

O problema é ter o azar de sentar ao lado de alguém infectado. Aí não tem muito jeito. Segundo o estudo, a chance de pegar a doença passa dos 80%. Mas ainda vale o básico: andar com o álcool em gel na bolsa e evitar tocar nos olhos, nariz e boca.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.