Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Universidade: Ensino em massa

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h51 - Publicado em 31 out 2004, 22h00

Projetado pelo arquiteto russo Lev Vladimirovitch Rudnev em estilo neoclássico, o prédio da Universidade de Moscou é a maior e mais alta sede de uma instituição de ensino superior do mundo. O edifício tem 240 metros de altura, 36 andares e capacidade para mais de 30 000 estudantes. Ele foi concluído em 1953 e substituiu a antiga sede, fundada em 1755 e já pequena para suportar o crescimento do número de vagas. Na inauguração, o novo prédio da universidade mais antiga da Rússia era o sétimo edifício mais alto do mundo. Até 1988, quando foi erguida a MesseTurm, no centro financeiro de Frankfurt, ainda era a construção mais alta da Europa. Assim mesmo, nenhuma outra escola conseguiu superar o recorde da Universidade de Moscou. E os números não impressionam apenas pelo tamanho da construção. Para você ter uma idéia, só nos elevadores foram utilizados 67 cabos, que totalizam 6,5 quilômetros de extensão.

Parcialmente restaurada em 2000, a Universidade de Moscou ocupa uma área total de 1,6 quilômetro quadrado e está localizada no topo de uma colina 75 metros acima do nível do Rio Moscou. A instituição tem auditório com capacidade para 1 500 pessoas sentadas e oferece 19 salas para conferências, 140 salas de aula, biblioteca, diversos laboratórios, um museu de agronomia, piscina e ginásios. No topo da torre, de 57 metros de altura, há uma estrela que pesa doze toneladas e tem nove metros de diâmetro. A cara da universidade foi popularizada em 1980, quando o logotipo da Olimpíada de Moscou foi inspirado na fachada do prédio.

Publicidade