GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Breno Silveira

O diretor de Dois Filhos de Francisco escolhe os 5 melhores vencedores do Oscar de melhor filme estrangeiro. E um que poderia ter ficado em casa

Barbara Axt

Pelle, o Conquistador (Dinamarca) – 1988

“Um filme de poucas palavras em que a emoção prevalece. Excelente fotografia com planos longos e belíssimos.”

Cinema Paradiso (Itália) – 1989

“O diretor Giuseppe Tornatore consegue manter a emoção sempre no limite ao mostrar uma linda relação de tempo com o cinema.”

Tudo sobre Minha Mãe Espanha) – 1999

“Admiro todos os filmes de Almodóvar. Apesar de às vezes carregar nas tintas, ele sempre fala das relações humanas com profundidade.”

Invasões Bárbaras (Canadá) – 2003

“É o menos cinematográfico da lista. Usando linguagem mais documental, privilegia os diálogos. De forma verdadeira e sutil, fala das relações entre pai e filho e das transformações que o mundo sofreu nas últimas décadas.”

Mar Adentro (Espanha) – 2004

“Além da atuação magnífica de Javier Bardem, o filme aborda um tema complicado – a eutanásia – com extrema delicadeza e poesia.”

Lixo

Mediterrâneo (Itália) – 1991

“Não é lixo, mas fica devendo aos outros ganhadores do Oscar por não investir profundamente nas relações humanas.”