Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Como funcionam os direitos autorais

Todo mundo já deve ter ouvido falar em direito autoral, mas quando e como o autor de uma música ganha com ela? Para entender esse caminho, desvendamos o funcionamento do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad)

Por Mariana Müller Atualizado em 31 out 2016, 18h52 - Publicado em 26 set 2013, 22h00

1. FILIAÇÃO DO MÚSICO

Para que o autor de uma música receba, em dinheiro, os direitos autorais de sua criação, ele precisa se filiar em uma das nove associações regionais que compõem o Ecad e informar seu repertório.

2. ARRECADACÃO EM SHOWS E NO RÁDIO

O valor cobrado por música é calculado com base em vários itens. Quando há venda de ingressos, considera-se um percentual sobre a receita bruta (no caso dos shows, a organização repassa ao Ecad uma planilha com as músicas executadas). Já no rádio, o cálculo é feito por amostragem*. O valor arrecadado pelas rádios de uma região é dividido pelo número de vezes que as músicas cadastradas foram executadas.

3. ARRECADAÇÃO EM LUGARES MAIS INUSITADOS

Mesmo que esteja apenas com uma televisão ou um rádio ligado, um restaurante deve pagar direitos autorais. O mesmo vale para cinemas, escolas e motéis. Até hospitais que usam música ambiente precisam pagar. Nesses casos, é preciso buscar uma autorização do Ecad mediante pagamento prévio.

Continua após a publicidade

4. DISTRIBUIÇÃO DO DINHEIRO

Os músicos ficam com 75,5% do que é arrecadado. As associações ficam com 7,5% e o Ecad, com 17% do total. O músico recebe pela associação em que está cadastrado. O prazo varia: no caso dos shows, o valor é pago mensalmente. Em outras categorias, há remessas a cada três ou seis meses.

 

* Cerca de 200 mil músicas tocadas em rádios do Brasil compõem a amostra (o Ecad tem um sistema que capta e identifica as músicas). Programas de rádio e TV reproduzidos na internet e o Youtube passam por um processo parecido.

Fonte: Assessoria de Imprensa do ECAD

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)