GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Dancing music: Que fim levou Robin?

Capitaneado por Mauro Borges, o primeiro grupo de dance music do país ensaia um retorno. Nos planos estão shows e um disco inédito

Bruna Monteiro de Barros

Quem vive hoje a nostalgia dos anos 80/90 não esquece esta banda, que fez sucesso na TV por dois anos e depois sumiu. O Que Fim Levou Robin? mesclava letras divertidas, bases de dance music e muita atitude fashion. Formado em 1989, o grupo estourou em 1990. “A gente tinha informação, lia a ‘The Face’”, lembra o DJ Mauro Borges, idealizador do grupo. Inicialmente a banda era formada por Mauro, pelo DJ Renato Lopes e pelos clubbers Bebete Indarte e Eloy W., e depois Ultra Claudia, todos parte da família Nation, clube histórico do underground paulistano. A produção do disco foi assinada pelo hoje todo-poderoso Dudu Marote.

Lançado pela Warner, o álbum não vendeu muito. Isso porque, segundo Borges, não havia mercado de música eletrônica na época. “Os vendedores não sabiam nem em que seção colocar o disco nas lojas.” Mesmo assim, a faixa “Aqui Não tem Chanel” virou hit no país. Se o LP não vendia, o visual e as apresentações performáticas chamaram a atenção do público. O grupo fez sucesso na TV por cerca de dois anos. Circulou muito por programas de Angélica, Gugu, Mara Maravilha… Que Fim Levou Robin? também fez turnê nacional, tocou de Porto Alegre a Belém do Pará, onde se apresentou para 10 mil pessoas. “A gente se apresentou no Brasil inteiro, menos em São Paulo. Aqui nós éramos as bichas da Nation”, diz o DJ. Com a abertura do clube Massivo, de Mauro e Bebete, no final de 91, o grupo diminuiu a quantidade de shows fora da cidade, e o segundo disco acabou ficando só no papel. Mas não é que o grupo está em fase de revival? No final de julho, Mauro Borges armou um show do Que Fim Levou Robin? Na mesma noite do show, Mauro comemorava a inauguração de seu novo clube (Disco Fever) e celebrava ainda o lançamento de seu quarto CD, uma compilação de house que leva seu nome. Havia ainda um outro motivo para celebrar: Bebete Indarte, desde 96 morando na Holanda, visitava a velha turma. Às 3h daquele 28 de julho, subiram ao palco do Disco Fever Mauro, Bebete, Elis Gritaria, Ana Paula e Elaine Ferreira. As duas primeiras são integrantes da primeira geração (Elis entrou após a saída de Lopes). As duas últimas, gogo girls da nova geração. Foram três sucessos, apresentados para uma casa lotada: “Aqui Não Tem Chanel”, “Tia (Um Dia Você Vai Ser)” e “Que Fim Levou Robin”. Quando anunciou no microfone a volta do Que Fim Levou Robin?, Mauro Borges foi espirituoso: “Volto com duas novas dançarinas, no melhor estilo Trio Los Angeles”.

 

Ouça

AQUI NÃO TEM CHANEL – QUE FIM LEVOU ROBIN? (WEA)

Os pioneiros da dance music lançaram um único álbum. Confira a faixa-título.