Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Games: Pimba na gorduchinha

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h51 - Publicado em 30 set 2005, 22h00

Fabiano Onça

Fãs de futebol, preparem as chuteiras: os dois melhores games do gênero têm nova versão. Fifa 2006, da EA, chegou ao Brasil em setembro. E a 9a edição de Winning Eleven, da concorrente Konami, está disponível no Japão desde agosto – a estréia no resto do mundo é para breve. É mais um capítulo do maior clássico do futebol virtual. Os dois games levantam rivalidades da nação boleira como se fossem clubes. A nova edição de Fifa chega com gráficos ainda mais perfeitos e a responsabilidade de virar o jogo sobre o arqui-rival, atual queridinho dos jogadores. Para adiantar o assunto, perguntamos a especialistas quem merece a taça de campeão. E comparamos tudo com o Campeonato Brasileiro 2005 – que entra como zebra nessa disputa de altíssimo nível.

Olho no lance

1. Visual

Fifa tem gráficos quase perfeitos: torcida, estádios, jogadores – tudo é bonito e feito no capricho. Já Winning Eleven é mais simples: correndo, os boleiros mais parecem robôs. Mas feio mesmo é ver os jogos do Campeonato Brasileiro, em estádios com arquibancadas de circo e campos que parecem devastados por guerras.

2. Diversão

Winning Eleven é complexo, cheio de recursos e difícil de aprender. Mas quando você engrena, não pára mais. Fifa é mais básico,monótono, mas a nova versão melhorou este aspecto. Aqui o Brasileirão quase ganha: é tão emocionante que todos querem saber como será o próximo capítulo. É a novela do macho.

3. Jogadores

Com licença para usar imagens de quase todos os clubes, Fifa tem atletas idênticos aos reais. Winning Eleven mal representa com fidelidade os famosos e faz um cover capenga dos outros – Cicinho, por exemplo, ficou mulato no jogo. Pior que isso, só o Brasileirão: sem Robinho, ficaram só imitações de craque.

4. Campeonatos

Winning Eleven tem uma liga bacana: Master League, em que você cria um time e começa lá de baixo. Fifa tem campeonatos iguais aos de verdade, como a Série A da Itália e a Priemership inglesa. Mas “completo” mesmo é o calendário da CBF: tem Brasileirão, Copa Brasil, estaduais, sul-americanos…

Continua após a publicidade

5. Futebol-arte

Winning Eleven aposta na fluidez do jogo: é ótimo para quem gosta de dribles – algumas bolas “impossíveis” entram no gol. Neste aspecto, Fifa parece mais aquele volante que faz o básico, mas sem dar show. Arte no Brasileirão? Só se sair dos pés de um argentino. E olhe lá!

6. Juntar a galera

Winning Eleven é bom para reunir amigos e fazer um torneio com jogos equilibrados, graças às variáveis como dribles e esquemas táticos. Fifa é mais previsível, limitado. No Brasileirão, até dá para juntar a galera no estádio. O problema é encontrar uma torcida organizada no metrô depois do jogo!

Placar final:

Winning Eleven ganha por 3 a 2. Mas a gente aposta que vai ter gente achando que o juiz roubou ou a mala preta baixou aqui na redação da Super.

Fifa 2006 – Eletronic Arts

PC, Xbox, Xbox360, PS2, Gamecube, GBA, PSP.

Winning Eleven 9 – Konami

Xbox, PS2 (apenas no Japão).

Continua após a publicidade
Publicidade