GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Leitores via e-mail

A partir deste mês, a seção de cartas da revista vai se tornar mais on-line. Isso porque há um crescimento veloz da internet

Regina Pereira

A partir deste mês, a seção de cartas da revista vai se tornar mais on-line. Isso porque há um crescimento veloz da internet e boa parte dos leitores passou a fazer contatos pelo computador, via e-mail. Nosso site também ficou muito mais interativo.

A seção O Leitor É Super, cujo objetivo é mostrar a intensa relação da revista com o público, abrirá mais espaço para esse intercâmbio on-line. Pesquisas, fóruns, todo tipo de opinião que vier pelo site terão um espaço maior nestas páginas. Como a troca com os leitores é para nós fundamental, gostaríamos de aumentar cada vez mais essa interatividade. Convidamos você a participar ativamente.

oleitoresuper@atleitor.com.br

Números que você faz

No mês de maio recebemos:

2 477 e-mails

1 063 telefonemas

771 cartas

Veja abaixo as reportagens mais comentadas, por e-mail e por carta:

Perigo! Postura errada………………..38

A guerra que o Brasil esqueceu…………19

Distraído pelo barulho………………..18

O segredo da Criptografia……………..13

SUPER pesquisa

No mês de maio 7 357 leitores responderam à pergunta:

Você acha que quebrar uma senha de computador deveria ser considerado um crime pela legislação?

SIM 6 343 (86%)

A invasão de privacidade, seja como for, é um crime com prejuízos morais sérios que lesa princípios éticos da vida em sociedade.

João Bastos

Salvador, BA

Não há justificativa para a tentativa de se quebrar senhas que não seja o crime. E como tal esse ato deve ser punido.

José Geraldo Magmo

Juiz de Fora, MG

NÃO 1 014 (14%)

A quebra de senhas é um estímulo para o desenvolvimento de sistemas de segurança. Acho que as empresas deveriam estimular mais os experts.

Leonardo Ueki

São Paulo, SP

Se não conseguem criar programas realmente seguros, a culpa não é dos piratas da informática.

Natailson Dias Fraga

Itaberaba, BA

Cartas

Saúde

Mais atenção

Adorei a reportagem Perigo! Postura errada (número 5, ano 14). As informações me alertaram para diversas incorreções que acontecem nas mais simples atividades do dia-a-dia. Nós brasileiros não temos o hábito de nos preocupar com a postura, o que não é saudável. Essa desatenção pode trazer sérios problemas com o passar do tempo.

Thiago Favero

Vinhedo, SP

Infográficos

Como estudante de Fisioterapia pude aproveitar bastante o conteúdo da reportagem, principalmente os infográficos. A sobreposição de imagens do esqueleto com as do corpo ficou impressionante.

Fabrício Márcio Coqueiro

via internet

Novidades

Finalmente esse assunto foi abordado com a devida importância. Eu já pratiquei RPG (Reeducação Postural Global), mas não conhecia as outras técnicas. Além disso, não sabia que problemas na coluna poderiam atrapalhar o funcionamento de alguns órgãos.

Ricardo Violato

Campinas, SP

Sono bom

Toda a minha família está pondo em prática as técnicas mostradas. E já percebemos resultados positivos. O meu pai é o melhor exemplo. Ele dormia de forma incorreta, mas acho que agora está mais consciente.

Jurandir Barbosa

Itabuna, BA

Dança de cadeiras

A professora Vera Lúcia Cruvinel, do Colégio Nacional, em Vitória (ES), pôs a SUPER dentro da sala de aula. Suas alunas da 5a série mostraram para os colegas a importância da boa postura em diversas situações. As meninas fizeram uma encenação utilizando as informações da reportagem publicada na revista. Depois a professora os incentivou a escrever para nós contando a experiência. Veja abaixo algumas opiniões:

Depois da apresentação houve uma grande modificação dentro da sala. Muitos que não se sentavam direito se ajeitaram nas cadeiras.

Khaterine Thaís Nuno

A coluna não é coisa com que se pode brincar. Precisamos saber lidar com ela. Se ela estiver semimorta, é melhor ir rápido ao médico.

Priscilla Locatel

A reportagem foi ótima. Agora, a professora está tentando arrumar nossa postura, para não ficarmos com problemas aos 45 anos.

Lorena Coser

Comportamento

Alerta

Sou fonoaudióloga e achei ótima a reportagem Distraído pelo barulho (número 5, ano 14). É de grande importância alertar a população, principalmente pais e professores, sobre desordens do processamento auditivo central. Muitas vezes a criança é considerada desatenta e sem interesse, mas ninguém sabe que ela sofre desse distúrbio.

Patrícia da Costa Borges

Mogi das Cruzes, SP

Educação

Acho muito importante que a SUPER traga reportagens assim. Muitos educadores utilizam a revista em sala de aula e infelizmente alguns não têm idéia de que uma simples deficiência auditiva pode ser a causa da constante distração e dificuldade na aprendizagem do aluno. Ignorando o fato, fica muito mais difícil ajudar a criança.

Jaqueline Bampi

Caxias do Sul, RS

Exames

Acredito que existam muitas crianças com problemas na escola por causa desse problema auditivo. Na minha opinião, o governo deveria fazer exames de audição e de visão em todos os alunos para que muitos não sofram por isso.

Tiago Benato

via internet

História

Passado e presente

Parabenizo a SUPER pelas ótimas reportagens a respeito da História do Brasil. Adorei aquelas sobre Lampião, Canudos, a Guerra do Paraguai e a mais recente, A guerra que o Brasil esqueceu (número 5, ano 14), que mostrou o conflito do Contestado. Elas nos ajudam a compreender o passado e os fatos atuais.

Leonardo Pizzolatti

Porto Alegre, RS

Divisão

Nós, de União da Vitória, nos sentimos muito gratificados pela reportagem sobre a Guerra do Contestado. Ela é um fato muito presente na história de nossa região. Depois do conflito, nossa cidade e a de Porto União foram divididas politicamente entre os Estados do Paraná e de Santa Catarina, e os governos investem muito pouco nelas.

Paulo Silvestre Barczak

União da Vitória, PA

Jagunços

É preciso ver os fatos por vários ângulos e não apenas pelo ponto de vista dos vencedores. Os jagunços foram bandidos, mas não são os vilões. Eles também exigiam o direito de viver em paz.

Marcos Campagnaro

Fraiburgo, SC

Música

Villa-Lobos

Ao ler a reportagem Um dom de gênio (número 5, ano 14) fiquei impressionada com a capacidade do maestro Heitor Villa-Lobos de identificar de ouvido qualquer nota musical. O interessante é que ele chegou a ter esse ouvido absoluto depois de um magnífico esforço, estudando com afinco. Ninguém nasce gênio.

Quedemá Pires Vieira

Sete Lagos, MG

Músicos

Sabemos que o cérebro consegue facilmente se adaptar a estímulos externos e armazenar seletivamente mensagens na memória de longo prazo pelo simples fato de repetir constantemente o aprendizado. Acredito que os músicos possuem mesmo um cérebro mais desenvolvido e refinado.

Carlos A. Vasconcelos

Ribeirão Preto, SP

Computação

Insegurança

Gostei muito da reportagem O segredo da Criptografia (número 5, ano 14). Acho muito importante divulgar esse tipo de informação, tendo em vista o aumento de transações financeiras efetuadas pela internet. Os usuários muitas vezes acham que estão seguros e não sabem o que está realmente acontecendo.

Agis Maciel

via internet

zoologia

Animais em perigo

Adorei a reportagem Sobrou só 1 (número 5, ano 14), que mostrou as ararinhas da Bahia. É muito bom saber que a SUPER se preocupa com a ecologia. Infelizmente existe muita gente por aí que sacrifica a natureza por causa da ganância e do lucro fácil.

Carlos César Curi

via internet

Exigências

Muito comovente a história da ararinha-azul. Mas achei o macho bastante exigente. É triste ver tantas tentativas de procriação darem errado.

Cláudia Guimarães

Ipameri, GO

Tecnologia

A força de Tmsuk

Estão erradas duas informações publicadas na reportagem Seu novo amigo, o robô (número 6, ano 14). Dissemos que a robô Tmsuk 4 é capaz de carregar armários e de levantar cargas de 400 quilos. Não é correto. Só depois de termos publicado a história, Yuji Shichijo, engenheiro responsável pelo projeto, esclareceu: “Criamos Tmsuk 4 para cuidar de trabalhos arriscados e pesados no futuro. Mas, por enquanto, ela levanta só 1 quilo”. As próximas versões – de 5 a 7 – destinam-se a atuar na construção civil e em usinas nucleares. Elas terão estrutura reforçada, para carregar mais peso. “Só que ainda não sabemos dizer quanto, pois cada modelo terá uma finalidade específica”, informa Shichijo. ”Isso quer dizer que a capacidade deverá variar conforme as tarefas para as quais o robô foi projetado.”

SUPER on-line

26 leitores responderam à pergunta: O que você faz para corrigir sua postura?

Acho muito importante todos terem consciência de seu corpo. Eu sou bailarina e terapeuta corporal com especialização em recuperação motora.

Leila Abrahão

Rio de Janeiro, RJ

Ao começar a ler a reportagem, procurei corrigir-me imediatamente. Costumo sentir dores fortes. Vou policiar-me com freqüência.

Jossueide

Salvador, BA

Sou fisioterapeuta e trabalho com RPG e também com o movimento integral – técnica que tem um curso ministrado pela fisioterapeuta Angela Santos. Ela criou, por sinal, um site muito interessante que vale a pena ser procurado com a finalidade de complementar conhecimentos nessa area. O endereço é: http://www.centrodesaopaulo.com.br

Maria Cristina Ricetto

São José dos Campos, SP

Soluções matemática

Finque as estacas, deixando entre elas uma distância menor que o comprimento da corda. Depois, prenda a vareta na corda, mas sem dar um nó: apenas faça o barbante dar uma volta em torno de uma vareta, que deve ser afastada das estacas para esticá-lo. Agora, mantendo a corda estirada, encoste a vara no chão, deslocando-a para o lado. Esse movimento descreverá uma elipse perfeita.

SUPER on-line

36 leitores responderam à pergunta: Você já tinha ouvido falar da Guerra do Contestado?

O país que não cultua a própria história precisa que seus cidadãos sejam patrióticos. O nosso patriotismo se resume às competições esportivas, mais especialmente ao futebol.

José Antônio Ianni

Jacareí, SP

O Brasil completou 500 anos, mas continua engatinhando em termos de seu próprio passado. Seja por negligência de seu povo, seja por sempre estar com os olhos voltados para o estrangeiro. Nossa história é muito rica e bonita.

Marcelo Sabino

Florianópolis, SC

A Guerra do Contestado é simplesmente mais um fato histórico que passa despercebido. Apenas mais um. Alguém já ouviu falar de alguma mulher que tenha se sobressaído na nossa história? Se ouviu, faz parte de um seleto grupo. Mulheres como Bárbara Heliodora, ligada à Inconfidência Mineira, ou Madalena Angola, ligada ao Quilombo dos Palmares, são praticamente desconhecidas.

Ricardo Honório

Recife, PE

Livros on-line

Conte para a SUPER o que você está lendo. Acesse nosso site e confira outras resenhas como esta, enviada no mês de maio.

Sabor de história

Este livro é uma receita deliciosa para qualquer leitor que aprecie os seus ingredientes: medicina, história e literatura. Moacyr Scliar é um médico e escritor gaúcho (não necessariamente nessa ordem) detentor de importantes prêmios literários. É um privilégio desfrutrar da desenvoltura da sua escrita. O livro conta a história da medicina de forma leve, fluida e instrutiva. Você depara com imperadores orientais no capítulo sobre acupuntura, sábios ocidentais, como o grego Galeno (129-199), e mestres árabes, como o persa Avicena (980-1037). E fica a par dos conflitos, das resistências e dos avanços do progresso do conhecimento.

Ramon Arruda

João Pessoa, PB

A Paixão Transformada

• Moacyr Scliar

• Companhia das Letras

• 296 páginas, 28,50 reais

SUPER on-line

31 leitores responderam à pergunta: Você acredita que os serviços na internet que necessitam de senhas são seguros?

Sou estudante de Ciência da Computação e acredito que a Criptografia ainda é o meio mais seguro de impedir o acesso a informações na internet. Principalmente pelo fato de que cada usuário pode aprender a criar o seu próprio programa de Criptografia.

Wilson Savegnago

Pinhalzinho, SC

Se os hackers já entraram até no Pentágono, acho que corremos riscos. Pode ser paranóia, mas até o uso de ICQ permite que você seja monitorado.

Leila Alexandre

Campinas, SP

Soluções PUZZLES

Fácil

Médio I

Médio II

Difícil

A bola branca aparece em todas as posições, logo ela não faz parte da solução. Se a azul estivesse na solução, só poderia estar na segunda posição (da esquerda para a direita) e, conseqüentemente, não haveria lugar para a verde. Mas, então, a solução deveria conter as bolas azul, preta, amarela e vermelha, o que entraria em contradição com o enunciado, pois a primeira fileira teria três bolas de cor certa. Assim, conclui-se que a azul também não faz parte da solução, composta de vermelha, amarela, verde e preta.

A verde só pode estar na segunda posição. A amarela, na primeira ou quarta. A vermelha, na terceira ou quarta. A preta, na primeira, terceira ou quarta. Combinando essas alternativas, chegamos a três possibilidades: 1) preta, verde, vermelha, amarela; 2) amarela, verde, vermelha, preta; 3) amarela, verde, preta, vermelha. Delas, somente a terceira apresenta duas coincidências de cor e posição na mesma linha, quando a página é olhada de cabeça para baixo. Assim, a solução é: