GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Lost: a verdade está lá fora (da TV)

Trama enigmática desperta correria de fãs à Internet em busca de respostas. Veja as

Cláudia Croitor

1. A ILHA É UM PURGATÓRIO

SEGUNDO ESSA TEORIA: Todos os passageiros morreram no acidente do vôo 815. Alguns foram para o céu, outros foram para o inferno. E os que vemos “vivos” na ilha estão, na verdade, no purgatório, tentando alcançar o céu – ou traçando seu caminho para o inferno.

PODE SER REAL PORQUE: Todo mundo ali tem alguma coisa que fez e precisa expiar: Kate matou o pai, Sayid era um torturador, Sawyer era um golpista e matou um homem, Jack causou, indiretamente, a morte do pai… Além disso, na Divina Comédia, de Dante Alighieri, o purgatório é descrito como uma ilha cujo acesso é dificultado por um mar agitado. E o autor do livro Bad Twin, lançado nos EUA como se tivesse sido escrito por um passageiro do vôo 815, se chama Gary Troup – um anagrama para purgatory, “purgatório” em inglês. Quando Desmond conhece Jack no estádio, ele diz “Te vejo numa outra vida”. No verso da foto que Sayid levava consigo, um retrato de Nadia, ela havia escrito “Você me encontra na próxima vida, se não encontrar nesta”. As frases podem ser pistas do que realmente estaria acontecendo na ilha.

SE BEM QUE: Os produtores da série já negaram essa teoria e disseram que o mistério terá uma explicação perfeitamente plausível. Mas quem confia nos produtores da série?…

2. A HUMANIDADE FOI EXTINTA

SEGUNDO ESSA TEORIA: Uma calamidade de proporções mundiais (um meteoro? Uma guerra nuclear?) acabou com a raça humana e apenas os passageiros do vôo da Oceanic sobreviveram ao apocalipse. Eles podem ter sobrevivido por um acaso – estavam sobrevoando um lugar estrategicamente seguro no momento da catástrofe – ou podem ter sido escolhidos para sobreviver e, assim, dar início a uma nova sociedade. Essa segunda hipótese supõe que quem os levou para a ilha seria também responsável pelo fim do mundo como o conhecemos.

PODE FAZER SENTIDO PORQUE: O avião saiu inexplicavelmente da rota, os rádios não dão sinal, ninguém até agora foi resgatá-los. E detalhes mínimos que teriam sido plantados pelos produtores seriam pistas do que aconteceu. Por exemplo: os cientistas chamam a catástrofe que extinguiu os dinossauros da Terra de “K-T event”. Hum… K-T = Kate. Já houve menção, num dos episódios, à estrela Nêmesis, que teria criado a instabilidade celeste que provocou a catástrofe. Coisas estranhas na ilha, como o urso polar, o monstro e até a cura de Locke, que era paralítico, podem ser um indício de que ela é um dos poucos lugares que sobraram de um mundo catastrófico – e, por isso, as coisas deixam de ser exatamente “normais”.

SE BEM QUE: Tem que viajar bastante para chegar a essas conclusões. E no episódio Lockdown um avião misterioso joga mantimentos para a ilha (Ok, o avião pode ter vindo de outra parte do planeta que teria sobrevivido à catásfrofe e, nesse caso, a teoria continua valendo). Indícios de que o mundo lá fora continua existindo também já apareceram em sites oficiais espalhados pela internet na primeira temporada – num deles, é possível ver um trecho de noticiário em que o apresentador menciona o acidente. Além disso, o site da Oceanic Air mostra que, depois do desaparecimento do vôo 815, a empresa teve todos os seus vôos cancelados. Ora, se conseguimos acessar o site da companhia aérea e obter essa informação, isso pode significar que o mundo exterior à ilha continua existindo. E tem mais, mas aí você tem que ler nosso caderno secreto lá no fim deste especial.

3. TUDO NÃO PASSA DE UMA ALUCINAÇÃO

SEGUNDO ESSA TEORIA: Nada do que se passa na ilha é exatamente real. Tudo seria produto da mente de uma pessoa – pode ser Jack, ou o estranho Walt, ou ainda Hurley. Pode ser também uma alucinação coletiva sofrida pelos passageiros do vôo enquanto enfrentam uma fortíssima turbulência na viagem. Também há quem acredite que tudo é produto da mente do cão Vincent – se você reparar bem, ele sempre está presente em momentos cruciais, apareceu do meio do mato no primeiro episódio e parece pressentir as coisas. Então, nada do que se passa na ilha seria exatamente real.

PODE FAZER SENTIDO PORQUE: Explicaria várias coisas bizarras, como o surgimento do urso polar que estava no gibi de Walt, a aparição do pai morto de Jack, do cavalo que a Kate viu, o filhote de javali que persegue Sawyer e destrói suas coisas, as vozes que eles ouvem na mata. Pistas para essa teoria surgiram especialmente no episódio 18 da segunda temporada, quando Hurley volta a ver e conversar com seu amigo imaginário, Dave, e ele tenta convencer Hurley a pular do precipício e acordar da alucinação. No mesmo episódio, ficamos sabendo que Libby ficou internada no mesmo hospício que Hurley – o que explicaria o fato de ela aparecer na suposta alucinação dele.

SE BEM QUE: Ia ser tão, mas tão sem graça se essa fosse a explicação… A gente prefere acreditar que os criadores de Lost conseguem fazer melhor que isso. E os produtores já afirmaram em entrevista que qualquer teoria que negue as questões de vida e morte na ilha é falsa. Por outro lado, pode ser que só uma parte das coisas que acontecem na ilha sejam alucinações – lembra quando o Locke deu um alucinógeno para Boone e ele viu Shannon sendo morta pelo monstro? O que vemos, então, seria apenas meia verdade…

4. É TUDO UM GRANDE EXPERIMENTO DE CIENTISTAS

SEGUNDO ESSA TEORIA: Os passageiros foram levados à ilha como cobaias para fazerem parte de uma gama de experimentos, que inclui os efeitos do eletromagnetismo nas pessoas. O tal monstro da fumaça seria um cão de guarda cuja função é não permitir que as cobaias se desviem do local do experimento. Os Outros podem ser cobaias que escaparam… ou os próprios cientistas disfarçados… ou uma dissidência de ex-cientistas que agora se opõem aos experimentos, por alguma razão.

PODE FAZER SENTIDO PORQUE: A energia eletromagnética pode ter sido o que curou a paralisia de Locke, o câncer de Rose e a infertilidade de… (se quiser saber, vá ao nosso caderno secreto). O mapa desenhado na porta da escotilha mostra que existem várias estações de pesquisa na ilha. O fato de pessoas de passados tão distintos – mesmo assim, bem relacionados entre si – e de comportamentos e crenças diferentes terem que conviver em paz numa ilha, aprender a se defender dos Outros, conseguir comida etc., também pode ser um indício de que tudo é um grande experimento científico. A obrigação de eles terem que apertar o botão do computador a cada 108 minutos poderia ser outra pista de que eles podem estar sendo testados psicologicamente – como, aliás, acredita Jack.

SE BEM QUE: A cena inicial do episódio “The Other 48 Days” mostra que o avião realmente se acidentou na ilha. Seria um jeito meio arriscado de recrutar cobaias para um experimento – e se todo mundo morresse na queda? Como os cientistas teriam conseguido colocar exatamente aquelas pessoas no avião?

5. OS BREVIVENTES ESTÃO NUMA ESTUFA MUTANTE

SEGUNDO ESSA TEORIA: Pessoas com poderes paranormais estariam exercendo influência na mente dos sobreviventes do vôo e nos acontecimentos da ilha. Dharma Initiative faria parte de um plano maior para criar uma sociedade utópica, livre de guerras e desgraças, cultivando um grupo de “super-humanos”, capazes de controlar a enorme energia eletromagnética da ilha.

PODE FAZER SENTIDO PORQUE: O filme Orientation dá algumas pistas de que tudo seria um grande experimento para um propósito maior, e a Dharma Initiative ainda é um grande mistério. E as pessoas que caíram na ilha parecem estar todas, de alguma maneira, relacionadas – o que sugere que talvez tivessem sido pré-selecionadas por apresentarem determinadas características. Por exemplo: boa parte ali tem problemas mal resolvidos (ou não resolvidos mesmo) com o pai ou a mãe: Kate, Jack, Hurley, Ana Lucia, Locke… Esse pode ser um dos critérios no perfil psicológico dos “escolhidos” para a ilha.

SE BEM QUE: E se o filminho da Dharma for tudo uma grande mentira e Alvar Hanso nem existir? Como os paranormais conseguiriam fazer exatamente essas pessoas entrar naquele vôo?

6. ELES ESTÃO DENTRO DA TERRA, QUE É OCA

SEGUNDO ESSA TEORIA: Existe uma história, sustentada pelo escritor americano Marshall Gardner, de que a Terra é oca e iluminada por um pequeno sol central, e a entrada para dentro dela estaria em algum ponto do Pólo Norte. Em 1947, o explorador Richard E. Byrd resolveu fazer uma viagem em seu avião rumo ao Pólo Norte e, no seu diário de bordo, ele conta que, do nada, seus instrumentos de navegação ficaram malucos, ele avistou uma área verde, com montanhas e rios, e a temperatura inexplicavelmente estava em torno de 26 graus celsius, num local onde deveria haver frio e neve. Isso descreve exatamente a ilha de Lost, não? Seria, então, uma espécie de Triângulo das Bermudas?

PODE FAZER SENTIDO PORQUE: Quando o avião de Lost caiu, o piloto afirmou que os instrumentos de navegação haviam ficado malucos. Os sobreviventes na ilha não conseguem sair de onde estão – nem ser localizados por nenhuma equipe de resgate que tenha ido atrás deles – justamente porque estariam dentro da Terra. E criadores da série já disseram que a gente se surpreenderia se conseguisse ver a ilha de cima: e se for um paraíso tropical cercado por geleiras?

SE BEM QUE: Como eles teriam ido parar no Pólo Norte se estavam saindo da Austrália? O mesmo vale para o avião nigeriano. E, se a Terra oca é iluminada por um sol interno, como fica noite? E de onde veio o avião misterioso que jogou os suprimentos na ilha? E quem são os Outros?

7. É TUDO NANOTECNOLOGIA

SEGUNDO ESSA TEORIA: no livro Prey (“Presa”), de Michael Crichton, uma equipe é enviada a uma ilha para limpar uma experiência do governo que deu errado – que envolvia nuvens de robôs, os nanorrobôs, minúsculos, que se movem em nuvens que lembram uma fumaça negra (como o monstro da ilha!) e fazem um barulho metálico (como o monstro da ilha!). Bastante familiar, não? Além disso, os minúsculos robôs são capazes de tomar formas variadas – inclusive de pessoas – e com poderes de fazer coisas como curar doenças (Locke volta a andar, por exemplo) ou entrar na mente das pessoas, criando alucinações. Ou ainda derrubar um avião.

PODE FAZER SENTIDO PORQUE: Explicaria o monstro da fumaça que mostrou imagens da vida de Eko e, antes, teria arrastado Locke para um buraco – no livro, os robozinhos vivem no subsolo da ilha – e ainda matado o piloto do avião. Explicaria como Locke voltou a andar, como Rose ficou curada da doença que tinha ao cair na ilha. Os Outros poderiam simplesmente ser criações desses robozinhos. Ou pessoas que sobreviveram às experiências da nanotecnologia. As vacinas que Desmond e Claire foram obrigados a tomar podem perfeitamente ser “injeções de robôs”… No livro, os robôs podem tornar as pessoas mais fortes – caso de Ethan, lembra como ele era muito mais forte que qualquer um ali? Aliás, o personagem central de ambas as histórias se chama Jack. Talvez uma pista da clara inspiração dos roteiristas para criar a série…

SE BEM QUE: Isso não explica um monte de coisas, como a quarentena, o filme da Dharma Initiative, os números amaldiçoados, o botão que tem que ser apertado a cada 108 minutos. Nem por que justamente este vôo caiu na ilha. Também não explica por que motivo eles até hoje não foram resgatados por ninguém.

Também tem gente acreditando que

• Todos ali fazem parte de um reality show, um mega Big-Brother, no estilo Truman Show.

• Os sobreviventes estão presos no tempo e não conseguem voltar para a vida normal.

• O avião atravessou uma espécie de portal e todos os passageiros estão numa outra dimensão, numa realidade paralela.

• A ilha faz parte de um estudo comportamental promovido por seres extraterrestres.

• É tudo um jogo de realidade virtual. As pessoas ali não são reais, são representações de outras pessoas que existiriam de fato, com memórias pré-escritas e implantadas artificialmente.