GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Lost Experience – Série

Criadores armam jogo de realidade alternativa, espalham pistas na Internet, em TV, livros e testam os limites da série... fora da série

Carina Martins

Hugh McIntyre, Rachel Blake e DJ Dan são nomes desconhecidos para você? Então prepare-se: você está mais por fora de Lost do que poderia imaginar. Não, não basta assistir a todos os episódios atentamente, dar rewind para não perder as cenas escondidas e sonhar com Kate e Sawyer de vez em quando. De todos os feitos da série, o maior acontece fora dos 45 minutos semanais.

Ao lançar a Lost Experience, em maio deste ano, os realizadores do programa deram um banho em teóricos e práticos da comunicação e definiram um inédito patamar de interação. O que se vê hoje é uma intrincada avalanche de sites, podcasts, comerciais de TV, organizações, entrevistas e livros que subvertem totalmente as fronteiras entre real e ficção – não é à toa que o jogo é definido como “jogo de realidade alternativa” – e deixam para trás todos aqueles que ainda lutam para ser multimídia. Abrindo mão do controle total e semeando detalhes para que fãs desenvolvam análises, teorias e meios, Lost é um triunfo metamídia. Mistura de bom e velho marketing, expansão de narrativa e de solução para manter o interesse aceso até a próxima temporada, o Lost Experience é uma fronteira nova e invenção viciante.

Funciona mais ou menos assim: os criadores da série espalham pistas em diferentes veículos de comunicação – como TV, internet e livros. Uma pista leva a outra e, a cada passo, você vai descobrindo mais sobre a mitologia e os mistérios da série, e formando uma história paralela. Algumas pistas são bem complexas, e é preciso ficar de olho na extensa e solidária comunidade mundial de jogadores/telespectadores para saber a resposta assim que alguém a desvenda. É como uma enorme gincana.

A diferença é que nesta gincana há uma narrativa bem definida. Segundo os realizadores da série, o jogo é uma história em 3 atos fincada na mitologia do programa e explorando personagens periféricos. Em suma, não está na TV, mas todo mundo continua à espera da próxima cena.

Com a promessa – cumprida – de expandir o universo da série, a Lost Experience começou oficialmente no dia 2 de maio no Reino Unido e Austrália. Nos EUA, no dia seguinte, no intervalo da atração, foi veiculado um comercial “real” da Hanso Foundation, a fictícia empresa por trás da Dharma Initiative. Nele, apareceu um número de telefone, daqueles 0800 de empresa. Ao ligar, escondida entre menus eletrônicos e músicas de espera, a hacker Persephone nos esperava com uma senha secreta para o site da Hanso. Era apenas o começo. Desde então, a caça ao tesouro tem tomado proporções inimagináveis: logo após o final da segunda temporada, um dos “executivos” da Hanso, Hugh McIntyre, deu uma entrevista ao programa real da ABC, Jimmy Kimmel Live – onde, entre outras coisas, confirmou que a Dharma Initiative era um projeto da Hanso, mas foi suspenso em 1987 (!). Outras pistas levam ao site de DJ Dan, apresentador de um programa de rádio adepto de teorias conspiratórias e anti-Hanso convicto. E até a um site de pesquisa sobre os poderes paranormais dos labradores, curiosamente dirigido por um certo Dr. Vincent… O volume de pistas e revelações é incrível, e a expectativa do quanto disso terá eco na próxima temporada é grande.

Mas a experiência extrapola também a TV e a internet. Os realizadores de Lost chegaram a lançar nas livrarias um romance que teria sido escrito por um dos passageiros do Oceanic 815 pouco antes de seu desaparecimento no fatídico vôo. Bad Twin, o livro, é aparentemente um romance policial sem grandes ligações com a trama. Mas uma análise detalhada (e como os fãs blogueiros são bons nisso!) mostra uma lista de informações que podem ser relevantes, desde dados sobre a Hanso Foundation até a participação nominal de um dos personagens da série no livro: a aeromoça Cindy, que, aliás, anda sumida…

Como jogar o Lost Experience

Algumas das pistas são transmitidas originalmente apenas para outros países. Mas nada que a web não resolva: para os brasileiros, a melhor forma de entrar no jogo é acompanhando blogs sobre o assunto. O mais didático deles é o http://thelostexperienceclues.blogspot.com/, que é bem organizado e permite que você comece do começo. Outra dica são os blogs oficiais, como http://www.insidetheexperience.com. O inglês faz falta, mas dá para viver sem: se seus conhecimentos da área estão mais para Jin do que para Jack, não se aflija: sites brasileiros como o Lost Brasil e o Dude, We Are Lost também estão de olho.

Se você quiser desvendar os mistérios por conta própria, a gente te dá uma forcinha para entrar no jogo, entregando algumas pistas. Mas lembre-se: Lost Experience é dinâmico e elas mudam constantemente:

1. O ponto de partida é o site da Hanso Foundation (www.thehansofoundation.org). Depois que a hacker Persephone entregou os podres da organização por semanas, no fechamento desta edição o site da Hanso estava “fora do ar” (mas, depois de um tempo, a tela mostra um videozinho assustador). Em compensação, Persephone revelou sua identidade e uma nova fonte de pistas: seu próprio blog. Vá a http://www.rachelblake.com e digite a senha “evident agenda” no campo Extra Info.

2. http://www.sublymonal.com. Sim, é um comercial da Sprite. O site pede uma senha para entrar, fornecida nos flashes. Se você obedecer e usar uma dessas senhas, não vai acessar muito mais do que propaganda. Mas se desobedecer e usar, por exemplo, 108, pode obter coisas mais interessantes.

3. Um inocente comercial da Hanso indicou o link http://www.retriversoftruth.com. Depois de contemplar a hipótese de Vincent ser a chave de tudo, digite “porter” no log in.

4. Quer conhecer um “verdadeiro” executivo da Hanso? Hugh McIntyre, o “porta-voz” da organização, deu uma entrevista real ao programa Jimmy Kimmel Live, da ABC. Você pode ver tudo no http://www.youtube.com/watch?v=MN4_kXzqO9I.

5. Outros sites que já foram confirmados no jogo:

http://www.garytroup.net

http://www.djdan.am

http://www.letyourcompassguideyou.com

http://www.hansocareers.com

Quadro a quadro

Decupamos o mais recente filme de orientação Dharma que apareceu no jogo. Veja algumas imagens misteriosas

Reportagem fotográfica

Cuidado

Como sempre, alguém vai tentar tirar vantagem de sua diversão. Portanto, muito cuidado antes de colocar informações pessoais ou baixar arquivos dos sites. Alguns endereços impostores podem conter spyware. Confira a lista de endereços que já foram desmascarados como NÃO pertencentes à brincadeira:

http://emri.perception.net – The Hanso Foundation (Falso)

http://lxicon.com – The Hanso Foundation (Falso)

http://www.alvarhanso.com – Who Is Alvar Hanso? (Falso)

http://www.dharmaindustries.com – Dharma Industries (Falso)

http://www.dharmainitiative.com -Dharma Industries (Falso)

http://www.dharmainitiative.net – Dharma Industries (Falso)

http://www.globalparadigmscorp.com – Global Paradigms Corp. (Falso)

http://www.marvincandle.com – Marvin Candle (Falso)

http://www.megalottojackpot.com – Mega Lotto Jackpot (Falso)

http://www.mrclucks.com – Mr. Clucks (Falso)

http://www.paik-heavy.com – Paik Heavy (Falso)

http://www.paikheavyindustry.com – Paik Heavy Industries (Falso)

http://www.squidoo.com/phi-eri/ – Peter Thompson Blog (Falso)

http://www.stsebastianhospital.org – St. Sebastian Hospital (Falso)

http://www.thedharmainitiative.org – The Dharma Initiative (Falso)

http://www.thedharmainitiative.info – The Dharma Initiative (Falso)

http://www.thehansofoundation.net – The Hanso Foundation.net (Falso)

http://www.valenzettifoundation.org – Valenzetti Foundation (Falso)

http://www.widmore.com – Widmore (Falso)

http://www.widmoreconstruction.com – Widmore Construction (Falso)

http://www.widmoregroup.com – Widmore Group (Falso)

http://www.widmorelaboratories.com – Widmore Laboratories (Falso)

Perdidos na rede

Site da Hanso Foundation, do DJ Dan. O Lost Experience acontece mesmo é na internet. A rede é o melhor lugar para passar o tempo enquanto espera a terceira temporada chegar.