GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Mau Mau em cinco músicas

O top DJ de tecno Mau Mau está prestes a lançar o primeiro CD solo de sua carreira, “Music Is My Life”. No disco, que chega às lojas até o fim deste ano, há influências de funk, tecno e breakbeat, gêneros que Mau Mau aponta como essenciais em sua carreira. Quer beber da mesma fonte que o mestre? Conheça as cinco músicas que mais marcaram a vida do DJ, comentadas pelo próprio.

Metropolis _ “Hyporeel”, 1993

Metropolis era um projeto paralelo dos caras do The Future Sound of London. Mas, enquanto o FL fazia um som mais viajante, o Metropolis se focou mais na música de pista. “Hyporeel” é certamente inspirada em “Strings of Life”, do Derrick May. É uma faixa linda, com pianos. A junção do lado ambient com a pegada de pista de dança deu muito certo.

Galaxy 2 Galaxy _ “Hightech Jazz”, 1992

Depois de descobrir o som de Detroit, passei a colecionar faixas lançadas pelo selo Underground Resistance. Galaxy 2 Galaxy é um projeto do Mad Mike Banks. É uma faixa profunda, intensa e inspirada. Toquei muito essa música em 92, 93. Mas foi no Hell’s (Club), cinco anos depois, que ela virou hit.

Mayday _ “Sinister”, 1988

Produção do Derrick May, DJ e produtor de Detroit, mais conhecido como um dos inventores do tecno. Esta foi a primeira música que me marcou como “o som de Detroit”. Ele havia feito a clássica “Strings of Life”, mas foi “Sinister” que tornou o som de Detroit, uma das minhas maiores influências.

Mau Mau _ “This is Tropics”, 1998

Ah, tinha que ter uma música minha na lista… Foi a primeira experiência que fiz usando percussão brasileira. Foi a primeira produção minha a ser tocada por gringos. Circulou pelas mãos de Carl Cox, Laurent Garnier, Mr. C, Derrick May, Kevin Saunderson… Saiu numa edição limitada de 200 cópias. Mas vai estar no meu álbum, com certeza.

Afrika Bambaataa & The Soulsonic Force _ “Planet Rock”, 1982

Na época, essa música marcou uma grande revolução, para o mundo e para mim. Adorei a melodia desde a primeira vez que a ouvi. A batida é bem electro, mas tem uma pegada de Kraftwerk. Isso me marcou bastante. Fiquei superfeliz quando consegui gravar “Planet Rock” da rádio, no programa do DJ Julinho Mazzei.