Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Musical: Miados quase eternos

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h58 - Publicado em 31 out 2004, 22h00

Apesar de nunca ter sensibilizado os críticos de plantão, o musical Cats, do compositor inglês Andrew Lloyd Weber, foi sucesso absoluto de público. Nunca um musical ficou tanto tempo em cartaz. Cats bateu o recorde de permanência tanto na Broadway, de Nova York, como no West End, de Londres. Em Nova York, a peça, que estreou em 1982, ficou 18 anos em cartaz. Foi encenada 7 485 vezes até 10 de setembro de 2000. Em Londres, o musical ficou ainda mais tempo em cartaz: 21 anos! A estréia foi em 1981, no New London Theatre, e a última apresentação ocorreu em 11 de maio de 2002. Foram quase 9 000 apresentações para um público estimado em 8 milhões de pessoas.

Cats inaugurou a era das superproduções musicais importadas da Inglaterra, que arrastaram multidões à Broadway. Baseado no livro de poemas Old Possum’s Book of Practical Cats, escrito em 1939 pelo poeta T. S. Eliot, o musical fala sobre um grupo de gatos que se reúne para uma celebração. No rastro de Cats vieram Os Miseráveis, Miss Saigon e A Bela e a Fera. Nos últimos anos, no entanto, o musical de Lloyd Weber (autor de outras peças de sucesso, como Evita e O Fantasma da Ópera) vinha sofrendo com o declínio de espectadores – algumas apresentações ocorriam com metade das cadeiras do teatro vazias. O fim de Cats foi interpretado como um termômetro da crise que atingia os musicais, os quais estavam atraindo cada vez menos público disposto a pagar ingressos de 40 a 70 dólares.

Publicidade