GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O lado Jar Jar Binks da Força

Relembre as produções de Star Wars que George Lucas quer que você esqueça para sempre

George Lucas passou boa parte de 1977 se preparando para o fracasso de seu filme de fantasia científica. Isso envolvia até mesmo a encomenda de uma continuação da série bolada pelo escritor Alan Dean Foster, também contratado por Lucas para escrever – sem assinar – a novelização do primeiro longa. A única diretriz dada ao autor? Que a história pudesse ser filmada com baixo orçamento.

Claro, quando tudo deu certo, esse enredo jamais teve a chance de dar as caras no cinema, e Lucas deu sequência a seus planos originais, muito mais ambiciosos (a história de Foster, por sua vez, virou o romance Splinter of the Mind’s Eye, primeiro livro original ambientado no universo de Star Wars, publicado em 1978).

Em compensação, o cineasta recebeu outras propostas para as quais não estava preparado. Em uma delas, a rede de televisão CBS oferecia uma bela grana à Lucasfilm para poder promover a realização de um “especial de feriado” de Star Wars. O tio George viu os dólares balançando na sua cara e não resistiu. Assim, em novembro de 1978, nasceu uma das maiores aberrações da história da franquia. Numa produção para lá de tosca, Luke, Leia e Han Solo estavam de volta, desta vez numa história em que Chewbacca visitaria seu planeta natal, Kashyyyk, para celebrar o Dia da Vida com a família. É um horror.

“Se eu tivesse tempo e uma marreta, eu encontraria cada uma das cópias daquele programa e as destruiria”, teria dito Lucas, anos depois. Tarde demais, George. O especial está por toda parte no YouTube. É só procurar.

O único momento de redenção de todo o especial, em uma hora e meia, é um curto desenho animado que apresenta Boba Fett, o caçador de recompensas que apareceria com mais destaque no filme seguinte, O Império Contra-Ataca.

Tente outra vez

Você poderia imaginar que, depois dessa trágica experiência na televisão, Star Wars ficaria um longo tempo longe das telinhas. Ledo engano. George achou que poderia tentar de novo se, desta vez, mantivesse controle sobre a produção (no especial de feriado, ele meramente havia cedido os direitos de uso sobre o universo fictício).

O resultado foram dois filmes para TV e duas séries de desenho animado. Os longas-metragens têm uma boa chance de você já ter visto: Caravana da Coragem e A Batalha de Endor. Lançados em 1984 e 1985, e exibidos originalmente pela rede americana ABC, eles mostram aventuras de algumas crianças com os ewoks – as criaturas peludas vistas em O Retorno de Jedi. Quanto às séries animadas, uma mostrava as jornadas dos droides C-3PO e R2-D2, e a outra também era focada nos ewoks.

Tecnicamente, todas essas produções são obviamente muito melhores que o famigerado especial. Mas ainda incomodam alguns fãs, que veem neles uma infantilização da saga para ganhar uns tostões a mais com a criançada.

Hoje, nenhuma delas faz parte da história “oficial” da galáxia distante. Depois de adquirir a Lucasfilm, a Disney decidiu reclassificar todas essas histórias como “lendas” – o que significa que podem ter acontecido ou não, mas só saberemos se algum dos elementos dessas produções acabar confirmado por uma futura história “oficial”.