Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O que já sabemos sobre o live-action de A Dama e o Vagabundo

Todo o elenco será composto de cães resgatados — e já temos as primeiras imagens deles. Conheça os atores peludos do novo remake da Disney

Por Maria Clara Rossini 9 ago 2019, 18h14

Depois de levar leões, javalis e suricatos para as telas, o próximo live-action da Disney vai focar em animais mais próximos de nós: os cachorros. Diferente do remake de O Rei Leão, os personagens de A Dama e o Vagabundo não serão animações totalmente computadorizados. Os atores são cachorros de carne e osso que vieram de abrigos.

Vagabundo

Divulgação/Disney

A revista americana People publicou as primeiras fotos oficiais dos atores caninos. Coincidentemente, a história do ator que interpreta o Vagabundo é muito parecida com a de seu personagem. Na animação de 1955, o vira-lata consegue escapar da carrocinha e de um final trágico. O ator — que na vida real se chama Monte — também foi resgatado de um abrigo conhecido por matar os cães para evitar a superlotação. Segundo a revista, ele foi salvo por uma ONG e adotado por um dos adestradores do filme.

Dama

Divulgação/Disney

As imagens dos outros personagens também foram divulgadas. A Dama será interpretada por uma cocker spaniel chamada Rose. Talvez você não se lembre de alguns personagens secundários, como Caco, Joca, Bull e Peg, mas eles também estarão presentes no filme.

Caco

Divulgação/Disney
Continua após a publicidade

Joca

Divulgação/Disney

Bull

Divulgação/Disney

Peg

Divulgação/Disney

Peg é conhecida por cantar a música Infiel na animação original, fazendo referência ao caráter mulherengo de Vagabundo. No live-action, tudo indica que a canção vai voltar às telas, já que a cantora Janelle Monáe dará voz à cachorrinha. 

O filme contará com duas canções inéditas interpretadas por Monáe. Além da cantora, outros atores vão emprestar suas vozes aos cachorros: Justin Theroux (Vagabundo), Tessa Thompson (Dama), Sam Elliott (Caco), Ashley Jensen (Joca) e Benedict Wong (Bull).

Também já sabemos que uma outra música polêmica entrará no filme: A Canção dos Gatos Siameses. No filme de 1955, ela é cantada por Si e Ão, dois gatos que passam a morar na casa de Dama. A música foi acusada de ser racista, pois contribui para uma visão estereotipada e única da população asiática. No live-action, a música sofrerá alterações e os gatos antipáticos não serão siameses.

O filme será lançado no dia 12 de novembro diretamente no catálogo do Disney+, a nova plataforma de streaming da empresa. Aqui no Brasil, o serviço está previsto para chegar só em 2020.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)