GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Os 5 melhores atores de 2015

Um senhor de 73 anos, um menino de nove e aquele que está para se tornar o maior ator brasileiro da história. Eles são os atores que mais fizeram valer os ingressos de cinema e as assinaturas de Netflix no ano passado.

5) Harrison Ford

Ele começou tarde. Em 1969, Harrinson Ford já tinha 26 anos e ainda era peão: trabalhava como assistente de palco dos Doors. Uma imagem da época mostra Jim Morrison, que aos 25 já era tratado como semideus, passando pelo roadie como se ele não existisse. O irônico da cena é que uma década depois o asssitente de palco ali se tornaria bem mais famoso que o próprio Morrison. Mais do que Jesus Cristo, até, pois provavelmete existem mais fãs de Harrison Ford no mundo do que cristãos. Ele só não convenceu mesmo a Academia – foi indicado ao Oscar uma vez apenas, em 1985, por A Testemunha. Mas para seus bilhões de admiradores isso nunca fez diferença. E em 2015, aos 73 anos, Harrison Ford deu um presente a todos eles (todos nós): não só reassumiu o papel de Han Solo como viveu uma versão mais complexa do contrabandista, com notas de dramaticidade que não existiam no personagem da trilogia original. Uma atuação épica como nunca, e simpática como sempre.    

4) Don Draper

   

Sim, sim. O nome do ator aqui é Jon Hamm, mas não dá para chamar o cara de outro jeito: o personagem do publicitário alcoólatra fundiu-se ao ator ao longo das sete temporadas de Mad Men. Não é culpa dele, mas da série, porque Mad Men foi mais do que uma mera série. Fernando Meirelles, nosso cineasta mais bem-sucedido, já comparou a saga de Don Draper aos clássicos da literatura russa, e não foi exagero. Na primeira temporada, Jon Hamm ainda tinha ar de canastrão de pornochanchada. Mas na últma, que foi ao ar em 2015, ele deixou claro que já tinha alcançado a primeira divisão do Campeonao Mundial de Atores, essa competição que não existe, mas que nunca termina. Tanto que sua atuação na temporada derradeira, principalmente nos dois últimos capítulos, lhe rendeu um Emmy, o Oscar da TV americana. E tem tudo para lhe conferir seu segundo Globo de Ouro, agora em janeiro.    

3) Paul Dano

Há dez anos, ele fez o irmão obsessivo-compulsivo da Little Miss Sunshine. Em 2015, viveu outro personagem transtornado: Brian Wilson, o compositor mais cheio de recursos que o rock já viu. O talento de Brian era (e ainda é) inversamente proporcional à sua saúde mental. E Love & Mercy, a cinebiografia do músico que saiu em 2015, só conseguiu retratar isso de forma convincente porque contou com os serviços de Paul Dano no papel principal.         

2) Jacob Tremblay

Se O Quarto de Jack não ganhar o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, melhor extinguir a premiação de uma vez. Mas a força desse filme, que talvez seja o melhor de 2015, não está só no texto. Está no magnetismo desse ator de 9 anos, que vive o Jack do título, um menino criado num cúbiculo sem janelas, que só conhece o mundo exterior pela TV. É a melhor atuação de uma criança desde o tempo em que Haley Joel Osment ainda era uma criança.

1) Wagner Moura

É. Até o cara que entrega pizza na sua casa fala espanhol melhor que ele. Só que Narcos não foi feito para nós, latino-americanos, sem dinheiro no banco, mas que sabemos bem a diferença entre espanhol de verdade e enrolación. O público americano, a quem a série do Netflix se destina pra valer, não liga a mínima para imperfeições de acento em qualquer língua que não seja a deles. E se apaixonou pelo brasileiro. No próximo domingo, dia 10 de janeiro, ele concorre ao Globo de Ouro de Melhor Ator de TV, com Jon Hamm e Bob Odenkirk (o Saul, de Breaking Bad). Diante de tudo o que a carreira Wagner Moura ainda pode render lá fora, essa indicação é só o começo. Seu habitat natural, ao que tudo indica, logo será o topo do Olimpo cinematográfico, na companhia de Christian Bale, Matt Damon, DiCaprio, De Niro, Al Pacino. E não se surpreenda se já na segunda temporada de Narcos o espanhol dele estiver melhor que o do Pablo Escobar original.