Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Quem foi Murphy, da Lei de Murphy?

Se algo pode dar errado, vai dar errado.

Por Marina Motomura Atualizado em 27 out 2020, 15h24 - Publicado em 18 abr 2011, 18h35

Há várias versões, mas a mais difundida – contada no livro Uma História da Lei de Murphy, de Nick Spark, ainda inédito no Brasil – é a de que o autor do famoso “se algo pode dar errado, vai dar errado” é Edward A. Murphy Jr., major e engenheiro da Força Aérea americana na década de 1940.

A frase foi formulada após um acontecimento exemplar: em um experimento para testar a tolerância humana à aceleração da gravidade, um técnico tinha que encaixar 16 medidores de aceleração em uma máquina, mas não acertou a posição de nenhum. Foi então que Murphy disse a tal frase (“se algo pode dar errado…”) e seu colega John Stapp, um major com visão de publicitário, decretou a criação da “Lei de Murphy”.

Hoje, a lei foi “adaptada” para diversas áreas da vida, como, por exemplo: “A probabilidade de você encontrar uma garota bonita aumenta se você está com a namorada”; “Se você joga fora alguma coisa que tem há muito tempo, você vai precisar dela logo”; “Ninguém nunca está ouvindo, até você falar uma besteira”; “Toda vez que um incompetente se demite é substituído por alguém mais incompetente ainda” etc.

Em 2003, a famosa “lei” ganhou o prêmio IgNobel, concedido a invenções consideradas inúteis. A homenagem (às avessas) póstuma foi recebida pelo filho do engenheiro.

Continua após a publicidade

Publicidade