Clique e assine a partir de 8,90/mês
Cultura

Analisamos a paleta de cores de 45 obras clássicas das artes plásticas

Os tons e combinações escolhidos por cada pintor em cada época revelam como as peças refletem o espírito de seu tempo.

Texto: Karin Hueck | Edição de Arte: Fabricio Miranda | Design: Andy Faria

Renascimento

Séculos 14 a 17

ARISTOTELISMO
Durante a Idade Média e boa parte do Renascimento, as teorias de Aristóteles serviram pra descrever a ciência. E, para o grego, as cores mais importantes do espectro eram vermelho e amarelo (além do azul). As duas primeiras aparecem firmes e fortes – além de muitos tons pastel e grandes quantidades de bege (veja por que abaixo).

1 • O Casamento da Virgem (1504), Rafael

<strong>Pele branca: muitos retratos e cenas bíblicas, por isso tan-ta cor de pele clara.</strong>
Pele branca: muitos retratos e cenas bíblicas, por isso tan-ta cor de pele clara. Divulgação/Reprodução

2 • A Criação de Adão (1512), Michelangelo

<strong>Pastel: os afrescos não eram desbotados originalmente, mas o tempo os “lavou”.</strong>
Pastel: os afrescos não eram desbotados originalmente, mas o tempo os “lavou”. Divulgação/Reprodução

O Nascimento da Vênus (1485), Botticelli

<strong>Veja as cores primárias aqui também: o azul do céu, o “amarelo” da Vênus e o vermelho do manto que a envolve.</strong>
Veja as cores primárias aqui também: o azul do céu, o “amarelo” da Vênus e o vermelho do manto que a envolve. Divulgação/Montagem sobre reprodução

Mona Lisa (1503), Leonardo Da Vinci

<strong>A grande invenção de Da Vinci é usar leves sombras para desenhar o rosto da mulher. Por isso, Mona fica com este ar misterioso.</strong>
A grande invenção de Da Vinci é usar leves sombras para desenhar o rosto da mulher. Por isso, Mona fica com este ar misterioso. Divulgação/Montagem sobre reprodução

Barroco e Romantismo

Século 17 a 19

Continua após a publicidade

TREVAS
O barroco é a época das emoções exageradas. Tudo nos quadros devia sensibilizar o espectador. Assim, usavam contrastes entre luz e escuridão e caprichavam no realismo. Geralmente, as cenas ficavam expostas em um fundo escuro, o personagem central era bem claro e as sombras serviam para dar volume e textura às figuras.

1 • A Ronda Noturna (1642), Rembrandt

<strong>Holofote: iluminar apenas um elemento do quadro servia para dramatizar.</strong>
Holofote: iluminar apenas um elemento do quadro servia para dramatizar. Divulgação/Reprodução

2 • Amor Vitorioso (1601–02), Caravaggio

<strong>Volume: entre a luz e a escuridão estão as sombras, o primeiro efeito 3D da história.</strong>
Volume: entre a luz e a escuridão estão as sombras, o primeiro efeito 3D da história. Divulgação/Reprodução

Saturno devorando um filho (1819-23), Goya

<strong>Cenas grotescas e personagens desprezados ganharam as telas. O espanhol Goya era mestre em criar manchas de sombra para dar volume. Foi o que ele fez neste adorável retrato de Saturno.</strong>
Cenas grotescas e personagens desprezados ganharam as telas. O espanhol Goya era mestre em criar manchas de sombra para dar volume. Foi o que ele fez neste adorável retrato de Saturno. Divulgação/Montagem sobre reprodução

Impressionismo

Século 19

LUZ E PAISAGEM
Claude Monet, o pintor francês das pontes, acreditava que os quadros deveriam ser feitos fora dos ateliês e sempre diante do modelo real. Para isso, era preciso aprender a representar as mudanças contínuas do mundo exterior – principalmente na luz. Isso era feito com pinceladas dispersas e o uso de diversos tons da mesma cor.

1 • Monte de Saint-Victoire (1904-06), Paul Cézanne

<strong>Mato: sair do ateliê = pintar a natureza. Por isso, há tanto amarelo, verde e azul.</strong>
Mato: sair do ateliê = pintar a natureza. Por isso, há tanto amarelo, verde e azul. Divulgação/Reprodução

2 • A Aula de Dança (1871–74), Edgar Degas

<strong>Claridade: adoravam representar a luz sobre as saias de mulheres.</strong>
Claridade: adoravam representar a luz sobre as saias de mulheres. Divulgação/Reprodução

Impressão (1872), Monet

<strong>Para pintar o Sol, o reflexo na água e as nuvens, Monet misturou todas as tintas na tela.</strong>
Para pintar o Sol, o reflexo na água e as nuvens, Monet misturou todas as tintas na tela. Divulgação/Montagem sobre reprodução

Quarto em Arles (1888), Van Gogh

<strong>Van Gogh brincava com cores opostas: azul da parede contra o rosa do chão, e uma cama laranja no meio.</strong>
Van Gogh brincava com cores opostas: azul da parede contra o rosa do chão, e uma cama laranja no meio. Divulgação/Montagem sobre reprodução

Século 20

Dãr, século 20

PIRA NAS CORES
O período abrange escolas muito diferentes, como cubismo, pop-art e surrealismo. Mas quase todas deixaram de representar a realidade e partiram para o abstrato. Com isso, pararam de copiar formas e tons reais e passaram a usar cores mais saturadas (puras), como o vermelho, o turquesa e o amarelo-berrante, que não existem na natureza.

1 • Harmonia em Vermelho (1908), Henri Matisse

<strong>Cheguei: os quadros deixaram de ser realistas e podiam focar as cores exageradas.</strong>
Cheguei: os quadros deixaram de ser realistas e podiam focar as cores exageradas. Divulgação/Reprodução

2 • Marilyn Diptych (1962), Andy Warhol

<strong>Pop art: subvertia a lógica das cores para chamar a atenção para o objeto.</strong>
Pop art: subvertia a lógica das cores para chamar a atenção para o objeto. Divulgação/Reprodução

3 • Número 31 (1950), Jackson Pollock

<strong>Pinga-pinga: ao jogar tinta nas obras, Pollock deixou os significados abertos.</strong>
Pinga-pinga: ao jogar tinta nas obras, Pollock deixou os significados abertos. Divulgação/Reprodução

Les demoiselles d´Avignon (1907), Pablo Picasso

<strong>A cor reforça a fragmentação do cubismo. As mulheres e uma das paredes são rosa e o fundo é azul.</strong>
A cor reforça a fragmentação do cubismo. As mulheres e uma das paredes são rosa e o fundo é azul. Divulgação/Montagem sobre reprodução

A persistência da memória (1931), Salvador Dalí

<strong>Por mais contraditório que pareça, os quadros surrealistas são os que costumam ter as cores mais realistas.</strong>
Por mais contraditório que pareça, os quadros surrealistas são os que costumam ter as cores mais realistas. Divulgação/Montagem sobre reprodução
Tags Relacionadas