Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Artefato romano do século 2 d.C. é encontrado em um jardim na Inglaterra

A pedra valiosíssima, avaliada em até R$ 110 mil por uma casa de leilão, foi usada por anos como um simples apoio para montar cavalos.

Por Rafael Battaglia
8 jan 2021, 16h38

Vinte anos atrás, a proprietária de uma casa em Whiteparish, uma pequena vila no sul da Inglaterra, encontrou uma grande pedra de mármore em seu jardim.

Por causa do tamanho, a senhora decidiu usar a pedra como uma espécie de banquinho de apoio para montar cavalos – quem já subiu em um sabe que não é uma tarefa das mais fáceis. Por quase uma década, o pedregulho permaneceu lá, numa boa.

Até que, certo dia, os donos da casa perceberam que havia uma coroa de louros talhada em em sua superfície. Eles, então, decidiram levar um objeto a um especialista, que deu o diagnóstico: a pedra, na verdade, era um artefato romano de quase 2 mil anos de idade.

Ao que tudo indica, o objeto é uma estela (do grego “stela”, que significa “pedra erguida”). Estelas são monolitos com textos, esculturas ou inscrições em seu relevo. Em civilizações antigas, eram usados para marcar eventos importantes, como funerais, memoriais de batalha ou, ainda, a demarcação de conquista de um território.

Continua após a publicidade

A lajota encontrada na Inglaterra provavelmente foi feita no século 2 d.C. Dentre os prováveis locais de origem estão a Grécia e a região da Ásia Menor, onde hoje fica a Turquia. No Império Romano, folhas de louro eram consideradas símbolo de triunfo e vitória para comandantes.

Contudo, ainda não se sabe dizer como a pedra foi parar na Inglaterra. Uma hipótese são as Grand Tours: viagens feitas por jovens da alta sociedade europeia pelo continente durante os séculos 18 e 19.

Continua após a publicidade

As Grand Tours são as bisavós do mochilão que o seu primo rico fez no último verão. Ao terminar a faculdade, esses jovens desbravavam a Europa em busca de arte e cultura clássicas. Vez ou outra, rolavam souvenires. “Artefatos desse tipo chegavam frequentemente à Inglaterra como resultado dessas viagens”, disse à CNN Will Hobbs, especialista em antiguidades da Woolley e Wallis, casa de leilões britânica que colocou a pedra de mármore à venda. O objeto foi avaliado entre 10 mil e 15 mil libras (R$73,2 mil e R$ 109 mil).

Agora, a Woolley e Wallis está em busca de pessoas que possam ajudar a desvendar o mistério de como a pedra acabou naquele jardim de Whiteparish – depois de 2ª Guerra, muitas construções próximas foram demolidas, e alguns escombros foram utilizados em novas construções. Nesse vaivém de material, a estela pode ter acabado ali. O leilão deve acontecer ainda em 2021.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.