Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Cidade de contrastes

Londres, 1851-1901, a era vitoriana ou o triunfo das desigualdades, Editor, Rio de Janeiro, 1993

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h20 - Publicado em 27 jul 2009, 22h00

Mônica Charlot e Roland Marx, Jorge Zahar

A Inglaterra, primeira nação industrial do mundo, viveu sua glória no reinado da rainha Vitória, que governou de 1837 a 1901. O surto de progresso e riqueza que tomou conta do país por mais de meio século também acentuou as desigualdades sociais, o crime e a delinqüência. A capital, Londres, é o exemplo mais acabado dessa sociedade de contrastes. Ali, as ostentações da burguesia conviviam com a miséria dos trabalhadores, que moravam em pardieiros. Uma cidade, enfim, onde imperavam o mau cheiro e problemas aparentemente insolúveis, como a higiene pública, a drenagem do Rio Tamisa ou o recolhimento do lixo. Ao mesmo tempo, a Londres vitoriana revelava talentosos escritores como Charles Dickens, Oscar Wilde, George Bernard Shaw cujas obras retrataram com fidelidade tais contradições.

Publicidade