GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como se transforma uma mulher normal em capa de revista?

Sem o trabalho de fotógrafos, maquiadores e tratadores de imagem, (quase) todas elas têm as pequenas imperfeições de uma pessoa normal: celulite, estrias, espinhas, pneuzinhos...

Marcos Nogueira

As mulheres perfeitas que você vê em revistas masculinas (quase sempre) só existem lá mesmo. Sem o trabalho de fotógrafos, maquiadores e tratadores de imagem, (quase) todas elas têm as pequenas imperfeições de uma pessoa normal: celulite, estrias, espinhas, pneuzinhos…

A transformação começa antes da seção de fotos, com a ação de maquiadores e cabeleireiros. Aí é a vez de o fotógrafo lançar mão de seus truques para valorizar o que a mulher tem de bonito – e esconder o resto. Ele trabalha com duas variáveis: a luz e a postura da modelo. “Quando você quer esconder mais coisas, você aumenta a área de sombra”, diz Ivan Shupikov, responsável pelas fotos destas páginas. (Neste trabalho, Ivan fez o inverso do que manda a cartilha: ressaltou ao máximo as poucas imperfeições da modelo, para que nós pudéssemos mostrar o processo de tratamento de imagem.)

O fotógrafo também orienta a mulher a ficar em posições que estiquem ao máximo sua pele (e, portanto, minimize coisas como dobrinhas e celulite). Ela tem seios caídos? Braços para o alto ou bem juntos ao tronco resolvem o problema. É baixinha? Fotografe-a de baixo para cima.

Os retoques finais são feitos no computador, com softwares como o Photoshop. “Todas as fotos recebem tratamento, mesmo que só para ajustar a tonalidade das cores”, diz o tratador de imagens Eduardo Jordão. Mas muitas vezes o trabalho vai mais além (veja na página ao lado). E, infelizmente, acidentes acontecem: já houve casos de umbigos e até mãos que sumiram misteriosamente em fotos de revista.

O Photoshop em ação

Como as fotos de mulheres são modificadas para que elas pareçam mais bonitas

1. Tirando o excesso

Como se tivesse um bisturi virtual, o tratador de imagens ajusta as curvas para reduzir medidas. Aqui, foram refeitos os contornos da barriga, das costas, do braço, da bochecha e da coxa. A bunda da moça não foi retocada, mas fica parecendo maior e mais arrebitada por causa dos cortes de outros pedaços.

2. Turbinar é preciso

Ao redesenhar a silhueta da mulher, o tratador também tem como aumentar alguns atributos, como os seios. Isso é feito com um mecanismo semelhante ao “copiar + colar” que quase todo mundo conhece: a parte que não existia antes é criada a partir de imagens de pele extraídas da própria fotografia.

3. Transplante fotográfico

Outra prática razoavelmente comum é a inserção de partes retiradas de outras fotos do mesmo ensaio – uma sessão pode ter dezenas de poses mais ou menos parecidas. Neste caso, um olhar mais vibrante substituiu a piscadela que a modelo deu bem na hora do clique.

4. Todas as cores

Quem mexe com o Photoshop tem o poder de mudar a cor de qualquer coisa que apareça na foto. Olhos castanhos, por exemplo, podem se tornar azuis. Só para mostrar como isso funciona, demos ao batom da modelo uma tonalidade mais intensa de vermelho.

5. Sem aperto

Ainda que pouca, a roupa pode marcar o corpo da modelo de maneira indesejável. Ao apertar a cintura e criar uma dobra acentuada, a calcinha pode dar uma falsa impressão de gordura. Isso é corrigido com um comando que “borra” a textura da pele e a torna mais uniforme.

6. Adeus, pereba

Quando o tratamento da imagem já está quase pronto, é hora dos retoques finos. A textura da pele fica lisinha, lisinha no apertar de alguns botões: somem as olheiras, a celulite, as estrias, os cravos, as pintas, as cicatrizes, as marcas de nascença e por aí vai.