Clique e assine a partir de 8,90/mês

História da Guerra do Peloponeso

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h27 - Publicado em 31 jul 2005, 22h00

Tucídides

NOME ORIGINAL – Thucydidis Historiae (Grécia antiga)
EDIÇÃO NO BRASIL – Imprensa Oficial SP; 2001

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

DO QUE TRATA

A obra em 8 volumes retrata um dos episódios bélicos mais importantes do chamado Século de Ouro da civilização grega: a guerra entre Atenas e Esparta. O conflito de 27 anos terminou com a vitória de Esparta, o que acarretou o fim da hegemonia ateniense, marcando o início da decadência da Grécia.

QUEM ESCREVEU

Contemporâneo de Sócrates e Sófocles, o aristocrata ateniense Tucídides (460 a.C.-400 a.C.) foi comandante de uma esquadra da cidade-estado no início do conflito. Depois de ser derrotado numa batalha, acabou banido do exército e passou a recolher evidências para escrever sua obra-prima.

Continua após a publicidade

POR QUE MUDOU A HUMANIDADE

O livro cobre apenas o período de 431 a.C. a 411 a.C., antes da derrota de Atenas, o que demonstra a desilusão de Tucídides com sua terra natal. Pela primeira vez na civilização ocidental o papel dos deuses quase desaparece. Testemunha da história, Tucídides toma os fatos como matéria-prima. Preza a cronologia e a investigação, fundando as bases da historiografia.

O filósofo Thomas Hobbes, de O Leviatã, traduziu A História da Guerra do Peloponeso para o inglês em 1628. Segundo ele, Tucídides, “embora jamais faça digressões morais ou políticas sobre seu próprio texto, nem procure entrar no coração dos homens além do que os fatos evidentemente conduzem, está entre os mais preciosos historiadores políticos”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade