Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

O que é o Reino Unido?

u nome completo é Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte ¿ o que significa que, quando falamos em Grã-Bretanha, nos referimos apenas aos três países que compõem a ilha maior: Inglaterra, Escócia e Gales.

Por Da Redação Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 31 out 2016, 18h24 - Publicado em 31 out 2002, 22h00

Alexandre Versignassi

(Gustavo Henrique de Aguiar Sarinha, Orobó, PE)

É uma nação muito peculiar, formada por quatro países e um regime que mistura monarquia constitucional e democracia parlamentarista. Seu nome completo é Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte – o que significa que, quando falamos em Grã-Bretanha, nos referimos apenas aos três países que compõem a ilha maior: Inglaterra, Escócia e Gales. O centro político sempre foi a Inglaterra e, ainda hoje, dos 659 membros do Parlamento britânico, que legisla para os quatro territórios, 529 são ingleses. Depois de séculos de disputas e protestos, o governo permitiu, em 1999, que cada um tivesse, finalmente, sua própria Assembléia – mas o Parlamento central não perdeu seu poder.

É ele que continua ditando as regras em assuntos fundamentais como política econômica, previdência social e defesa. Para as assembléias regionais, sobram temas como transporte, saúde e habitação. A iniciativa, porém, não foi suficiente para acalmar todos os ânimos. No mês passado, a Assembléia da Irlanda do Norte foi fechada pela quarta vez em três anos porque um dos parlamentares foi acusado de roubar informações para o Exército Republicano Irlandês (IRA), movimento contrário à união com o Reino e famoso por seus atos de terrorismo. A Assembléia, assim como o país, é dividida: há os protestantes, que querem manter o casamento com Inglaterra, Escócia e Gales; e os católicos, que preferem o divórcio. Antes, toda a ilha irlandesa fazia parte do Reino Unido. Em 1922, ela declarou independência – mas não demorou a se dividir.

Territórios de maioria protestante continuaram com o Reino, sob o nome de Irlanda do Norte, e a convivência desse grupo com a minoria católica sempre foi conflituosa. Não que a união dos outros territórios tenha sido tranqüila. O sangue já escorria desde, pelo menos, o século V, quando anglos, saxões e jutos – povos bárbaros do Norte da Europa – invadiram a ilha britânica para formar a população chamada anglo-saxônica, ancestral dos atuais habitantes.

A Inglaterra só começou a se unificar no século X, sob o comando do rei Athelstan. A aliança de nobres formada nessa época começou a invadir a Irlanda a partir de 1166 e décadas depois, no século XIII, o rei Edward I arrasou os reinos que formavam o País de Gales, anexando-os à Inglaterra. Já a entrada da Escócia foi um pouco mais pacífica: como a rainha Elizabeth I (1533-1603) não deixou herdeiros, um parente seu, o rei da Escócia James Stewart (1566-1625), assumiu o trono vago, sem largar o antigo. A essa altura, os soberanos ingleses já eram chamados de “reis da Grã-Bretanha e Irlanda” e a união formal, sob o nome Reino Unido, foi oficializada em 1707.

O poder dos monarcas chegara, então, a seu ápice – mas logo começaria a ser progressivamente reduzido. Primeiro país a adotar algo parecido com uma constituição (a Carta Magna, de 1215), a Inglaterra começou a ter um parlamento no final do século XIII e esse sistema de representação foi limitando, cada vez mais, a atuação da família real. A partir de 1721, a figura política mais poderosa passou a ser o líder do maior partido na Assembléia – o primeiro-ministro – e assim continua até hoje.

Continua após a publicidade

Herança imperial

Um quarto do planeta continua ligado ao Reino Unido

A expansão do Império Britânico, o maior da Era Colonial, começou no século XVII. Duzentos anos depois, a Grã-Bretanha, ilha do tamanho do estado de São Paulo, dominava um quarto das terras do planeta. Os movimentos de independência puseram um fim a essa ocupação na primeira metade do século XX, mas a maioria das ex-colônias aceitou o convite de permanecerem associadas ao Reino Unido, na chamada Commonwealth (“Riqueza Comum”, em inglês), ou Comunidade Britânica. Criada em 1931, ela é formada por 54 nações, somando hoje 1,7 bilhão de pessoas. Os países membros – entre eles, potências como Canadá, Austrália e Índia – desenvolvem sistemas de educação e justiça semelhantes, além de obterem facilidades em acordos comerciais e investimentos.

Um exemplo é o programa de exportação de técnicos e professores dos países ricos para os mais pobres.

Símbolo da união

A Royal Coat of Arms (“Capa Real de Armas”) identifica o soberano do Reino Unido. Seu nome vem das capas dos cavaleiros medievais, ornadas com brasões semelhantes.

O leão é um antigo símbolo da Inglaterra e o unicórnio, da Escócia. A Irlanda é representada pela harpa, no escudo central, onde está outro símbolo escocês, o leão vermelho.

O trio de leões simboliza a Inglaterra e surge duas vezes, para mostrar quem manda. O País de Gales nem aparece, pois nunca foi um reino, apenas um principado inglês. A frase “Deus e meu direito” está em francês porque essa era a língua dos nobres ingleses durante parte da Idade Média (eles descendiam de franceses normandos, que dominaram a Inglaterra em 1066). O lema foi criado pelo rei Richard I (1157-1199), o Ricardo Coração de Leão das histórias de Robin Hood, justamente em uma batalha contra a França.

Quatro países em uma ilha e meia

Cada uma dasnações do Reino Unido tem sua própria capital

A PEQUENA BRETANHA

Continua após a publicidade

Não confunda a Bretanha, esta região no norte da França, com a Grã-Bretanha, a ilha onde ficam Inglaterra, Escócia e Gales. O lugar recebeu esse nome depois que os bretões, povo de origem celta natural da ilha acima, fugiu dos invasores anglo-saxões, no século V, migrando para lá. O local já era habitado por outros povos celtas centenas de anos antes

A bandeira do Reino Unido é formada pela fusão das três bandeiras abaixo

A bandeira da Inglaterra traz a Cruz de São Jorge, padroeiro do país

A bandeira da Escócia traz a Cruz de Santo André, seu padroeiro

A bandeira da Irlanda traz a Cruz de São Patrício, seu padroeiro

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.