GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Paulo Colambini :detalhes tão pequenos

O paulistano Fabio Colombini foca seu trabalho no intrigante universo dos menores seres da fauna brasileira.

Texto Marcos Nogueira

MENINA VENENO

Desde que começou a fotografar profissionalmente, há 18 anos, Fabio se dedica à macrofotografia – capturas em close-up de detalhes ou objetos pequenos. No caso, animais diminutos como a joaninha (na foto, pondo ovos em uma folha), que usa as cores berrantes para dizer que é uma refeição tóxica.

CORAÇÃO DE ESTUDANTE

Arquiteto de formação, Fabio virou rato de bibliotecas para aprender sobre os seres que habitam suas fotos. O fotógrafo faz questão de identificar os animais com nome científico: nesta foto, por exemplo, temos uma aranha da espécie Edicadus heterocaster.

PROCURO, MAS NÃO VEJO

As estratégias de camuflagem são um dos temas prediletos do fotógrafo. “As soluções que eles encontram são fantásticas”, diz. Aqui, uma esperança – animal aparentado do gafanhoto – mimetiza o líquen na casca de uma árvore.

METAMORFOSE AMBULANTE

Outra amostra de camuflagem: uma lagarta de mariposa se confunde com um galho. Para obter imagens tão de perto, o fotógrafo deve ter as mãos muito firmes. “Com qualquer oscilação, você perde o foco ou tem uma foto tremida”, afirma Fabio.

NOS AMOR É LINDO

Para encontrar os “modelos” de suas fotos, Fabio conta que é necessário explorar meticulosamente o ambiente. “É preciso procurar vestígios, revirar folhas caídas…” Com paciência, o fotógrafo encontra cenas únicas como esta cópula de libélulas.

VAMOS ABRIR A RODA

A foto das formigas bebendo de uma gota d’água foi escolhida para a capa de Natureza Brasileira em Detalhe, livro de fotos de Fabio. “Foi numa ilha do rio Araguaia”, afirma. “Quando a água subia e invadia os formigueiros, havia ‘ilhas’ de formigas flutuando no rio.”

BICHOS ESCROTOS?

Fabio diz que parte de sua fascinação por insetos vem do fato de eles serem abominados por muitas pessoas. “Quero desmistificar isso – insetos não são nojentos”, diz. Se o flagra do louva-a-deus devorando a borboleta vai ajudar a mudar a opinião dessa gente, só Deus sabe.

Para saber mais

Natureza Brasileira em Detalhe – Fabio Colombini e Evaristo Eduardo de Miranda, Metalivros, 2006.