GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Quanto é preciso ganhar para ser considerado rico?

O consenso entre os consultores financeiros é que, para ser rico, mas rico meeeesmo, uma pessoa precisa de duas coisas.

Texto Naila Okita

O consenso entre os consultores financeiros é que, para ser rico, mas rico meeeesmo, uma pessoa precisa de duas coisas. A número 1 é ter um patrimônio igual ou maior que US$ 1 milhão em investimentos financeiros – o que exclui imóveis e carros, por exemplo. A número 2 é possuir uma renda familiar de pelo menos R$ 700 mil por ano, ou seja, R$ 58 300 por mês. No Brasil, apenas 130 mil pessoas (ou seja, 0,07% da população) podem se dizer ricas segundo o padrão internacional. Mas as principais entidades brasileiras que lidam com o assunto usam uma classificação diferente. É o caso do Critério de Classificação Econômica Brasil, criado pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (Abep) para medir o poder de consumo do brasileiro. Foi esse critério que dividiu as classes econômicas do país usando a famosa lista de 5 letras, as classes A, B, C, D e E. Nesse tipo de ranking, assume-se que a classe é uma característica familiar, expressa pela medição do que a família possui em casa: carro, geladeira, empregada etc. Cada um desses itens conta pontos em um questionário, que vai de 0 ponto (casa vazia) até 46 pontos (casa completinha). Em seguida, “corta-se” a pirâmide de classes do país com base nos pontos do questionário – para ser da classe A, por exemplo, uma casa deve ter pelo menos 35 pontos. Apenas 5% das famílias atingiram esse patamar. Finalmente, os pesquisadores usam um fator de cálculo para converter o número de pontos do questionário na renda familiar mensal de cada classe. A da classe A1 (o topo da A) é de R$ 9 733. Não é lá uma fortuna, mas, como você vê ao lado, cerca de 70% da população sobrevive com uma renda mensal que não ultrapassa os R$ 1 200.

Do banquete à migalha

Renda média familar separa o brioche do pão que o diabo amassou

Classe A (5%)

Classe A1

Quantos são: 1% da população.

Renda média familiar: R$ 9 733.

Classe A2

Quantos são: 4% da população.

Renda média familiar: R$ 6 563.

Classe B (24%)

Classe B1

Quantos são: 9% da população.

Renda média familiar: R$ 3 479.

Classe B2

Quantos são: 15% da população.

Renda média familiar: R$ 2 012.

Classe C (43%)

Classe C1

Quantos são: 21% da população.

Renda média familiar: R$ 1 194.

Classe C2

Quantos são: 22% da população.

Renda média familiar: R$ 726.

Classe D (25%)

Quantos são: 25% da população.

Renda média familiar: R$ 484.

Classe E (3%)

Quantos são: 3% da população.

Renda média familiar: R$ 276.