Clique e assine a partir de 5,90/mês

Quem foi Martin Luther King?

Conheça a trajetória, e os feitos, de um dos maiores nomes na luta pelos direitos dos negros nos EUA.

Por Rafael Teixeira - Atualizado em 15 jan 2020, 12h40 - Publicado em 9 out 2013, 17h41

Um dos maiores nomes da história da batalha por direitos civis e vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1964, Martin Luther King Jr. foi assassinadoem Memphis, EUA. Filho de um pastor batista, nascido em Atlanta, no estado sulista – e racista – da Geórgia, ele seguiu os passos do pai como pastor, mas se destacou como grarnde lutador por causas sociais.

“O trabalho dele inspirou movimentos pela paz, igualdade de gênero, imigração e direitos gays – sempre adotando a política da não-violência”, afirma Taylor Branch, historiador e autor de The King Years (ainda sem versão em português), que aborda momentos críticos da jornada do militante.

O grande legado de King foi a busca pelo sonho de maior igualdade e harmonia, misturando elementos constitucionais e espirituais em sua oratória. “Sua eloquência engajada, que sobreviveu à perseguição, faz de King uma fonte duradoura de inspiração para todo o mundo”, ressalta Branch.

O maioral das minorias

Causas e efeitos da militância de Luther King

Inspiradores

A filosofia de não-violência foi baseada no pacifista indiano Mahatma Ghandi e no texto On Civil Disobedience, de Henry David Thoreau. Abolicionistas como Theodore Parker e Abraham Lincoln, além de Rosa Parks – negra que se recusou a levantar de um assento de ônibus reservado para brancos -, motivaram a cruzada de King.

Continua após a publicidade

Inspirados por ele

As passeatas e os discursos de King moveram o presidente Lyndon Johnson a assinar, em 1964, a Lei dos Direitos Civis, que pôs fim à segregação racial nos EUA. A filosofia de não-violência também chegou ao movimento Solidariedade, pela democratização da Polônia, e ao trabalho de Nelson Mandela na África do Sul.

Igualdade social

Em discursos como “Where Do We Go from Here” (Para Onde Vamos Daqui), King questionava o modelo econômico dos EUA, que mantinha milhões de pessoas na pobreza. Em 1968, criou a Campanha dos Pobres, para brigar por salários justos, seguro-desemprego e educação para todas as etnias e classes.

Direitos civis

Ajudou a criar a Conferência de Liderança Cristã do Sul, que organizou o ativismo de diversas comunidades. Também realizou marchas pacíficas, fez vários discursos públicos e realizou protestos não violentos, como o boicote aos ônibus de Montgomery, Alabama, inspirado pela desobediência de Rosa Sparks. King defendia a desmilitarização dos EUA, se posicionando contra a Guerra do Vietnã e a violência perpetrada pelas tropas do país na Ásia.

Continua após a publicidade
Publicidade