Clique e assine a partir de 8,90/mês

Servidão

Ser servo não foi uma opção, mas uma emergência

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h20 - Publicado em 31 ago 2006, 22h00

Em alguns países é comum ter empregadas domésticas em casa, e para quem é dono de sítio, mais freqüente ainda ter um empregado morando em seu terreno. A origem dessas relações está na servidão, que começou como uma medida de emergência. Durante o Feudalismo, na Idade Média, pessoas pobres trabalhavam nos campos dos senhores de terras, em troca de proteção e do direito de arrendar parte da propriedade para sua subsistência. A situação foi causada pela instabilidade do Império Romano, quando pequenos proprietários venderam suas terras para quem tinha mais recursos e se tornaram servos, a mais baixa camada social. A prática disseminou-se na Europa no século 10 e tornou-se a forma predominante de organização do trabalho agrário na época. Sobreviveu na Inglaterra até o século 17 e, na França, até a Revolução de 1789.

A Europa medieval se sustentou explorando esses trabalhadores que, séculos depois, foram transformados em classe operária.

Publicidade