GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Uma pedra no meio do caminho

Igreja sem fiéis
A Igreja da Reconciliação (de 1894) ficou na zona militarizada do lado oriental. Isolada dos fiéis, acabou sendo demolida em 1985. Uma nova igreja foi erguida no local, 11 anos depoisda queda do muro.

Agonia vigiada
O pedreiro Peter Fechter levou um tiro quando pulava o muro em 17/8/1962. Enquanto sangrava até a morte, soldados do lado ocidental assistiam a tudo e nada podiam fazer.

Por baixo da terra
No dia 5/10/1964, 57 homens, mulheres e crianças rastejaram por mais de 150 metros em um túnel. Na fuga, mataram um soldado.

Na linha de tiro
Duas famílias inteiras atravessaram o posto de controle em um ônibus blindado em 26/12/1962, sob a rajada frenética de uma metralhadora.

Perigo
Em algumas áreas a distância que separava os dois lados podia chegar a 100 metros.

Morte depois da fuga
Winfried Freudenberg, de 32 anos, passou por cima do muro em 8/3/1989 e morreu quando o balão a gás que ele mesmo construiu caiu do lado ocidental.

Faltava pouco
Nove meses antes da queda do muro, em 5 de fevereiro, Chris Gueffroy levou um tiro pelas costas ao tentar cruzar as barreiras.

Por um fio
Nas zonas rurais, mais de 60 000 disparadores com munições letais foram instalados para prevenir fugas.

Dimensões do muro
• Em volta de Berlim Ocidental – 155 quilômetros
• Dividindo Berlim (Ocidental e Oriental) – 43 quilômetros
• Separando Berlim Ocidental da Alemanha Oriental – 112 quilômetros
• Muro de concreto – 106 quilômetros
• Cercas de arame farpado – 67 quilômetros
• Trincheiras antiveículos – 105 quilômetros
• Torres de observação – 302
• Estradas para patrulhas ao longo do muro – 125 quilômetros
• Passagens de fronteira entre Berlim Oriental e Berlim Ocidental – 8
• Passagens de fronteira entre Berlim Ocidental e Alemanha Oriental – 6

4 de dezembro de 1946
Administração militar soviética ordena a segurança da linha de demarcação da zona que ocupa.

24 de junho de 1948
Soviéticos impedem acessos terrestres a toda Berlim.

26 de junho de 1948
EUA criam a ponte aérea de abastecimento de Berlim Ocidental.

5 de dezembro de 1948
Eleições à Câmara na parte ocidental de Berlim consolidam a divisão da cidade.

23 de maio de 1949
Fundação da República Federal da Alemanha (RFA), abrangendo as zonas de ocupação inglesa, francesa e americana.

7 de outubro de 1949
A zona soviética vira República Democrática Alemã (RDA).

26 de maio de 1952
Alemanha Oriental instala postos de controle ao longo de toda a fronteira interalemã e bloqueia as linhas telefônicas para o lado ocidental.

15 de junho de 1961
Chefe de Estado e de partido, Walter Ulbricht declara em Berlim Oriental que “ninguém tem o objetivo de construir um muro”.

13 de agosto de 1961
Polícia e Forças Armadas da Alemanha comunista fecham a fronteira com Berlim Ocidental.

23 de agosto de 1961
RDA proíbe berlinenses ocidentais de entrarem em Berlim Oriental.

24 de agosto de 1961
Primeira morte. Günther Litfin, de 24 anos, é assassinado a tiros por guardas de fronteira alemães-orientais.

19 de dezembro de 1963
Passes de livre trânsito permitem a alemães-ocidentais visitar os parentes e amigos em Berlim Oriental pela primeira vez em dois anos.

13 de junho de 1968
RDA impõe visto para visitantes alemães- ocidentais em Berlim Oriental.

26 de março de 1970
Aliados iniciam conversações sobre o status de Berlim. Começa a política de reaproximação.

31 de janeiro de 1971
RDA libera 5 linhas telefônicas entre Berlim Oriental e Ocidental.

5 de julho de 1973
Liberado pequeno trânsito de fronteira para alemães-ocidentais.

21 de dezembro de 1972
Acordo entre os dois Estados alemães prevê abertura de representações diplomáticas mútuas.

1974
Alemanha Oriental instala a “área de segurança” com arame farpado: uma segunda linha de demarcação adiante do muro.

19 de janeiro de 1989
Chefe de Estado e de partido, Erich Honecker garante que o muro ainda vai durar 50 ou 100 anos.

5 de fevereiro de 1989
Chris Gueffroy, de 20 anos, é tido como a última pessoa a morrer no muro, alvejado pelos soldados da fronteira.

5 de maio de 1989
Hungria começa a remover a cerca na fronteira com a Áustria, provocando uma fuga em massa dos alemães-orientais para a Alemanha Ocidental através dos dois países.

7 de outubro de 1989
Durante a cerimônia de 40 anos da RDA, o chefe de Estado soviético, Mikhail Gorbachev, apela por reformas na Alemanha Oriental.

18 de outubro de 1989
Honecker renuncia e é sucedido por Egon Krenz, que fica poucas semanas no poder.

4 de novembro de 1989
Um milhão de manifestantes na praça Alexanderplatz, em Berlim Oriental, protestam por reformas.

8 de novembro de 1989
Desde o último dia 4, haviam entrado na Alemanha Ocidental mais de 45 mil fugitivos alemães-orientais.

9 de novembro de 1989
Politburo aprova nova regulamentação sobre viagens para o Ocidente. Por causa de um mal-entendido na divulgação da notícia pelo secretário de Comunicação do Comitê Central do Partido Socialista Unitário, Günter Schabowski, os alemães-orientais entendem que podem sair livremente do país e se dirigem em massa aos postos de controle em Berlim, forçando a abertura de fato da fronteira.