GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como escolher frutas e verduras

Está difícil fazer a feira? Com essas dicas, você não leva nada azedo pra casa

 (Sattu/Superinteressante)

BATATA

Não compre as brotadas, pois o amido já virou açúcar. Também fuja da casca esverdeada, efeito da solanina, um tóxico.

 (Sattu/Superinteressante)

BETERRABA OU CENOURA

Prefira as médias ou pequenas. Quando estão muito grandes, a parte interior pode estar endurecida.

 (Sattu/Superinteressante)

CEBOLA

Não escolha cebolas já brotadas ou com indícios de podridão (o cheiro forte pode denunciar a má qualidade do produto).

 (Sattu/Superinteressante)

ABACATE

Evite os de casca clara e brilhante (indicam que foram colhidos antes da hora). Compre sempre os mais foscos.

 (Sattu/Superinteressante)

COUVE OU BRÓCOLIS

Não compre se as folhas ou flores estiverem esbranquiçadas ou amareladas.

 (Sattu/Superinteressante)

TOMATE

Não compre tomates com partes murchas: já estão passando do ponto. Também fuja dos verdes: eles não amadurecem.

 (Sattu/Superinteressante)

LARANJA

A cor da casca (verde ou laranja) não tem a ver com a maturação interna, mas se estiver muito alaranjada pode ser que esteja velha.

 (Sattu/Superinteressante)

UVA

Uva não amadurece fora do pé. E, se estiver meio branca, é sinal de que foi colhida antes da hora. Portanto, não estará tão doce.

 (Sattu/Superinteressante)

ABACAXI

Analise as escamas: se os gominhos estiverem chatos e afastados (ou seja, se a casca estiver mais lisa), a chance de estar doce é maior.

 (Sattu/Superinteressante)

MARACUJÁ

O melhor indicativo é o peso da fruta. Chacoalhe e veja se não está muito leve (sinal de pouco suco). Prefira os menores.

 (Sattu/Superinteressante)

LIMÃO

Fora do pé, cítricos não amadurecem – compre-os maduros. No caso do limão, os de casca lisa e brilhante têm mais suco.

 (Sattu/Superinteressante)

BANANA

Prefira sempre as mais gordas. As finas mostram que foram colhidas antes da hora e têm menos sabor e nutrientes.

 (Sattu/Superinteressante)

 

Fontes: Alessandra Coelho e Juliana Dragone, nutricionistas, e Gabriel Vicente Bitencourt de Almeida, engenheiro agrônomo da Ceagesp.