Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

peixe extinto: O rio ficou pequeno

O gambúsia vivia em um pequeno trecho de riono Texas. A introdução de espécies forasteiras foi um golpe duro demais para o pequeno peixe

Por Da Redação Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 31 out 2016, 19h04 - Publicado em 31 out 2004, 22h00

Maurício Oliveira

O Gambusia georgei já era um peixe ameaçado de extinção quando foi descoberto pela ciência, em 1884. Ao longo dos cem anos seguintes, encontrar exemplares da espécie para entender seus hábitos era sempre um desafio para os pesquisadores, mas periodicamente eles obtinham sucesso. A partir de 1982 isso deixou de ocorrer e o peixe foi incluído na lista oficial dos animais extintos.

O fato de viver concentrado em uma área bastante restrita, um trecho de apenas 1 quilômetro do rio San Marcos, próximo à cidade de mesmo nome no Estado do Texas, nos Estados Unidos, tornava a espécie muito vulnerável a mudanças no habitat. Diante da sensação de que qualquer desequilíbrio poderia levá-la ao desaparecimento, a reprodução em cativeiro foi tentada em várias ocasiões. Colônias foram estabelecidas em aquários das cidades de Austin, no Texas, e Dexter, no Novo México. Ambas, no entanto, foram dizimadas por doenças.

O trecho do rio San Marcos em que o gambúsia costumava ser encontrado reunia características essenciais para a sobrevivência da espécie. A começar pela temperatura estável da água, que se mantém ao longo do ano inteiro em torno de 23 graus, com pequenas variações. Os locais que costumavam ser escolhidos pelo gambúsia eram os de menor correnteza, normalmente próximos às margens, onde havia abundância de plantas aquáticas – o que assegurava a obtenção de larvas de insetos, seu alimento predileto.

Continua após a publicidade

A introdução de espécies forasteiras no San Marcos pode ter transformado a disputa por alimentos em uma missão impossível para o gambúsia, um peixinho que não passava de quatro centímetros de comprimento. Seu desaparecimento acendeu o sinal amarelo com relação à preservação não apenas do rio San Marcos, mas de um sistema muito maior que o abastece, o aqüífero Edwards, responsável pelo fornecimento de água potável a quase 2 milhões de pessoas. Tratado por décadas como se fosse uma reserva infinita de água potável, o aqüífero apresentou no ano 2000 os menores níveis desde que a medição começara a ser feita, há mais de meio século.

Talvez o gambúsia, cuja marca registrada era uma discreta linha preta ao longo do dorso de coloração amarelada, tenha sido apenas o primeiro mártir de uma causa que ameaça fazer novas vítimas nos próximos anos. Organizações ambientalistas alertam para o fato de que sete outras espécies que só existem na região do aqüífero Edwards, como a salamandra-cega-do-texas (Typhlomolge rathbuni), estão na lista de animais ameaçados. Das 169 espécies nativas de peixes de água doce catalogadas em todo o Estado do Texas, 20% estão sob risco de extinção a curto e médio prazo.

Gambúsia-do-Rio-San-Marcos

Continua após a publicidade

Nome científico: Gambusia georgei

Ano da extinção: 1982

Habitat: Texas, Estados Unidos

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.