Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Como as grandes árvores levam nutrientes da raiz às folhas mais altas?

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h29 - Publicado em 18 abr 2011, 18h51

Tudo acontece graças a uma poderosa força de sucção, capaz de puxar água e sais minerais dezenas de metros acima. A seqüência começa com a transpiração das folhas. Durante a fotossíntese, o processo de fabricação de energia, as folhas precisam abrir pequenos poros que ficam na sua superfície, chamados de estômatos, para assimilar o gás carbônico necessário para a reação. Nessa fase, as folhas perdem água para o ambiente. “É essa evaporação da água para a atmosfera que faz os nutrientes subirem. Para repor o líquido perdido, as folhas sugam a água que vem pelo xilema, um conjunto de vasos e tecidos que liga a copa à raiz”, diz o fisiologista de plantas Marcos Buckeridge, do Instituto de Botânica do Estado de São Paulo. Junto com a água, sobem também os minerais dissolvidos. Eles são usados com os açúcares fabricados na fotossíntese para formar alguns componentes essenciais da árvore, incluindo flores e frutos. Em geral, o puxa-puxa de nutrientes é mais intenso durante o dia. Por volta das 9 horas da manhã, os poros por onde as folhas transpiram começam a se abrir, requisitando água lá de baixo. Essa estratégia simples é bastante eficaz para manter a vida das maiores gigantes do mundo vegetal, as sequóias, um tipo de árvore que pode ultrapassar os 100 metros de altura. Hoje em dia, a árvore mais alta é um exemplar da espécie Sequoia sempervirens, que mede mais de 112 metros e vive em uma floresta na Califórnia, nos Estados Unidos. O mais impressionante é que essas grandalhonas são também campeãs de resistência: algumas sequóias conseguem sobreviver por mais de 2 mil anos!

Para o alto e avante Transpiração das plantas cria força que suga água e sais minerais

1. O processo de subida dos nutrientes começa com a transpiração vegetal. A planta perde água através de pequenos buracos na superfície das folhas, chamados de estômatos, que durante a fotossíntese se abrem e deixam o vapor de água sair. Isso gera uma força de sucção que puxa a água das partes mais baixas. É como se houvesse alguém sugando água de canudinho no topo da árvore

2. As folhas estão diretamente ligadas à raiz pelo xilema, um conjunto de vasos e tecidos que carrega nutrientes da raiz até o topo. A força de sucção faz com que a água e os sais minerais subam em direção à copa da árvore. A maior parte do transporte acontece pelo xilema, mas, como ele tem furinhos laterais, parte da água escapa e chega ao topo viajando por feixes menores

3. É hora de repor a água que subiu. A maioria dos nutrientes que a árvore utiliza para sua sobrevivência é captada pelas raízes. Água e sais minerais dissolvidos, como nitrogênio, fósforo e potássio, são absorvidos por pêlos externos, atravessando a raiz até chegar à parte mais interna, chamada de medula. De lá, os nutrientes alcançam o xilema e são puxados até as folhas

Continua após a publicidade
Publicidade