Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como funciona o sistema de alarme que evita o furto em lojas?

Ele é acionado por sensores que, muitas vezes, ficam quase invisíveis nos produtos. Alguns desses aparelhinhos são finos que nem uma folha de papel – e olha que eles trazem uma antena e um circuito impressos! As microengenhocas podem, por exemplo, ficar discretamente escondidas debaixo da etiqueta do código de barras e são detectadas por […]

Por Redação Mundo Estranho Atualizado em 4 jul 2018, 20h14 - Publicado em 18 abr 2011, 18h51

Ele é acionado por sensores que, muitas vezes, ficam quase invisíveis nos produtos. Alguns desses aparelhinhos são finos que nem uma folha de papel – e olha que eles trazem uma antena e um circuito impressos! As microengenhocas podem, por exemplo, ficar discretamente escondidas debaixo da etiqueta do código de barras e são detectadas por aquelas grandes barras verticais na porta das lojas. Não parece, mas tais barras emitem ondas eletromagnéticas. Quando alguém passa no meio delas com um produto surrupiado, o sensor grudado no produto interage com as ondas e faz o alarme tocar, como você pode ver no infográfico abaixo. Nem todos os sistemas antifurto, porém, são iguais. Existem basicamente dois tipos disponíveis: o que pode ser usado com produtos metálicos e o que não pode.

Este último é justamente o que possui os sensores menores, que têm o circuito ativado por ondas de alta freqüência (cerca de 8 MHz). O problema é que os metais refletem esse tipo de sinal, bagunçando o dispositivo todo. As lojas que vendem produtos metálicos, então, usam pedestais e sensores que operam em freqüências 8 mil vezes mais baixas (até 1 Hz), que passam batido por qualquer ferragem. O sensor, nesse caso, é mais fácil de achar: é uma barrinha de metal que parece um chiclete. Os dois tipos, enfim, são desativados no caixa, por equipamentos ligados ao leitor do código de barras.

Tolerância zero
Ondas eletromagnéticas estragam a festa dos mãos-leves da vida

1. As grandes barras verticais posicionadas nas entradas das lojas funcionam como uma espécie de portão magnético para clientes que “se esqueceram de pagar” por um produto. A barra da esquerda tem um transmissor e a da direita, um receptor. Com o sistema antifurto ligado, a área entre elas vira uma cortina invisível, feita de ondas de rádio

2. Os CDs escondidos sob a blusa da cliente, possuem microcircuitos impressos em minúsculos quadrados de alumínio como este acima. O dispositivo tem uma miniantena que capta as ondas de rádio transmitidas pela barra esquerda da entrada da loja e as manda para um chip dentro do próprio microcircuito

3. O chip muda a forma das ondas de rádio que passam por ele e as retransmite para a barra da direita na entrada da loja. Ao perceber que recebeu o sinal alterado, a barra receptora aciona o alarme e pronto: a mão-leve é pega em flagrante

Continua após a publicidade
Publicidade