Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Como são abastecidos os carros elétricos?

Eles são ligados na tomada, como qualquer outro aparelho. Mas haverá novas formas de recarga no futuro - e outros tipos de combustível sustentável

Por Danilo Rodrigues
Atualizado em 22 fev 2024, 10h17 - Publicado em 18 jan 2017, 15h31

PERGUNTA Arthur Dagir, Santana de Parnaíba, SP

Ligando na tomada, como qualquer outro aparelho elétrico. Também já existe a possibilidade de trocar a bateria descarregada por outra cheia, mas só em alguns modelos específicos.

Apesar de ainda pouco difundidos por aqui, os veículos movidos a energia elétrica já são bastante comuns pelo mundo, e as vendas devem chegar a quase 3 milhões de unidades anuais até 2020. Eles não emitem poluentes e o “ronco” do motor quase não existe.

O problema ainda está na autonomia: uma bateria cheia roda, em média, 160 km, suficiente para quem anda na cidade (e pode recarregar quando chegar em casa), mas crítico para quem vai pegar uma estrada, onde nem sempre há tomadas à mão. Confira abaixo como são algumas formas de recarga.

 

 

Hoje

tomada

Continua após a publicidade

PELA TOMADA

Utiliza-se uma tomada comum, como as domésticas. Um carro elétrico leva entre seis e oito horas para “encher o tanque”. O consumo de energia é por volta de 24 kWh, parecido com o de um aspirador de pó. Em países como Portugal e Inglaterra, há estações de recarga nas ruas com tomadas de alta voltagem.

troca de bateria

TROCA DE BATERIA

Substituir a bateria descarregada é fácil: basta levá-la a postos autorizados, já presentes em países como Austrália e França. As montadoras vendem o carro sem bateria e você adquire um plano permitindo que ela seja trocada à vontade. Mas manter a rede é caro e ainda há poucos postos.

 

+ Teoria da Conspiração: As empresas de petróleo sabotaram o carro elétrico?

Continua após a publicidade

+ A energia dos raios poderia ser aproveitada?

 

No futuro

energia solar

ENERGIA SOLAR

Uma das possíveis formas de abastecer será com células fotovoltaicas, que transformam luz solar em eletricidade, instaladas na lataria do veículo. Hoje, a energia gerada por elas ainda não consegue sustentar o carro sozinha. Os fabricantes esperam viabilizar a tecnologia nos próximos 20 anos.

indução eletromagnética

Continua após a publicidade

INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA

Esse meio já está em teste em alguns países. Você estaciona sobre a célula de indução (ligada à rede elétrica) e um campo magnético é gerado entre ela e a célula no interior do carro, carregando a bateria sem fios. Os altos custos não devem ser reduzidos pelos próximos dez anos.

 

+ Como será o carro do futuro?

+ Como a ciência acredita que será a evolução do corpo humano no futuro?

 

ECO-OPÇÕES

Outras formas sustentáveis de abastecer o carro

Continua após a publicidade

 

Hidrogênio: Já disponível em pequena escala em alguns países, o carro movido a hidrogênio líquido solta apenas vapor de água

Biodiesel: Com emissões de gases até 80% menores que o diesel comum, ele pode ser produzido até com óleo de fritura

Etanol: Também chamado de “álcool”, é gerado a partir de vegetais. Poucos países têm área plantável tão grande quanto a nossa para produzi-lo

 

FONTES Ministério da Ciência e Tecnologia do Brasil, Itaipu Binacional, Companhia Elétrica de Minas Gerais, assessorias de imprensa da Fiat e da Nissan

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.