GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como se colocam os trens nos trilhos do metrô?

Depende do lugar de onde o trem vem. Na maioria das cidades brasileiras, os trens vêm de outra cidade – ou de outro país. Eles chegam de carreta, transportados em contêineres com trilhos de apoio que são “encaixados” no trilho oficial da linha. No caso de São Paulo, os trens podem vir ainda de uma fábrica que fica ao lado do pátio de manobras de uma estação, sendo colocados nos trilhos com a ajuda de um guindaste. Mas, depois que o túnel é feito e antes de o trem entrar no trilho para valer, ainda rola uma série de etapas na construção das estações. Confira no superinfo que ilustra estas páginas os principais lances dessa trabalheira toda.

Túnel do trampo
Estação demora dois anos para ficar pronta

1. Com o túnel já cavado, é hora de iniciar a construção de uma estação de metrô. O primeiro trabalho é colocar uma malha de cabos de cobre, com hastes do mesmo material apontadas para o chão. Essa estrutura funciona como fio terra para ligar estruturas metálicas e evitar choques com a eletricidade do metrô

2. No túnel, o piso recebe uma camada de concreto para ficar perfeitamente plano. Em seguida, há quadrados de 50 cm de borracha, que cedem com o peso e servem para amortecer a passagem do trem. A terceira camada do chão é feita de placas de concreto, de 2,5 por 13,75 m, que pesam 13 toneladas

3. Sobre a última laje de concreto faz-se a viga de suporte contínua e mais alta para apoiar os trilhos. Eles são de aço e pesam 57 quilos por metro. Importados da Polônia e da República Tcheca, chegam em barras de 18 metros, soldadas no pátio em varas de 108 metros, que são transportadas pelos túneis para fixação e uma soldagem final

4. Energizado com uma tensão de 750 volts ao longo de toda a via do metrô, o terceiro trilho abastece os trens de energia. Esse trilho é feito de alumínio (condutor capaz de levar energia sem quedas de tensão) e aço, que dá firmeza no contato com a sapata, a peça de aço que leva energia ao trem

5. A estrutura de uma estação é parecida com a de uma casa. Mas aqui alguns itens merecem atenção especial, como o piso. Nas plataformas usa-se o granito, rocha resistente que serve como isolante elétrico. Já nas salas de média e alta- tensão, restritas aos funcionários, usa-se paviflex, um plástico ainda mais eficiente como isolante

6. As estações do metrô recebem a energia em grandes troncos de 22 mil volts de tensão. Nas salas de média tensão, essa matriz passa por transformadores que baixam a tensão para 750 V, 460 V, 220 V ou 110 V, cada uma distribuída de acordo com os equipamentos em uso, do próprio trem às lâmpadas

7. O metrô está pronto para rodar! Cada vagão tem coletor de energia, rodas e motores independentes. Quase sempre comandados por computadores, os trens têm sempre um operador na cabine para intervir em emergências

8. Sabe como o metrô vai parar nos trilhos? O mais comum é cada vagão vir de carreta, trazido em contêineres especiais com trilhos. Em seguida, a carreta que traz o vagão se abaixa para nivelar a altura dele com a dos trilhos de uma rampa no pátio de manobras