GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

E se os homens engravidassem?

Segundo especialistas, se os homens é que engravidassem, haveria algumas mudanças significativas na legislação e até nos hábitos culturais

 

ILUSTRA Bel Andrade Lima

PERGUNTA Murilo Sousa, Belém, PA

 

Em 2007, o então ministro da saúde, José Gomes Temporão, declarou que, se homens engravidassem, o aborto estaria liberado no Brasil há muito tempo. Ele não está sozinho nesse raciocínio. Para ressaltar o preconceito contra as mulheres, muitas pensadoras feministas já imaginaram um mundo em que a responsabilidade de gerar um filho fosse deles. Como lidariam com as dores ou os direitos sobre o próprio corpo?

“Hoje, a menstruação, por exemplo, é sinal de fraqueza e fonte de irritação para o homem. Se ele é que passasse por esse processo todo mês, as coisas seriam bem diferentes”, diz a psicanalista norte-americana Joyce McFadden.

Conversamos com alguns especialistas para imaginar este cenário. Confira abaixo.

 

ESTA MATÉRIA FAZ PARTE DA REPORTAGEM DE CAPA E SE… CONFIRA AS OUTRAS PARTES:

+ E se a internet parasse de funcionar?

+ E se a Igreja Católica não existisse?

 

Mulheres trabalhando

Com o homem acumulando as funções de provedor (por sua força física) e de procriador, as mulheres sofreriam para achar seu espaço. Mas elas teriam entrado no mercado de trabalho mais cedo, substituindo os machos quando as primeiras leis trabalhistas previssem, por exemplo, generosas “licenças-paternidades”.

 

Chega de gente

É possível especular que, preocupados com a prole, os homens teriam realizado menos guerras. Ainda assim, a população do planeta provavelmente seria menor do que os atuais 7 bilhões de pessoas, pois as técnicas de controle de natalidade e o direito ao aborto teriam estimulado famílias com menos filhos ao longo da história.

 

Baixo impacto

O fato de carregar no ventre os próprios filhos levaria os homens a valorizar mais a vida. No lugar de esportes violentos, rachas e brigas de rua, é provável que fossem valorizadas atividades como xadrez e natação. No lugar de jogos de futebol ou lutas do UFC, a TV mostraria um duelo entre Garry Gasparov e Bobby Fischer.

 

+ E se Hitler tivesse vencido a 2a Guerra Mundial?

+ E se não houvesse corrupção no Brasil?

 

Sentimento à flor da pele

Se engravidassem, provavelmente os homens teriam de menstruar. Em vez de ser considerada um problema para as relações pessoais e profissionais, a TPM seria valorizada – marmanjos se vangloriariam de ter as TPMs mais fortes ou de sangrar mais que os outros. Eles também teriam orgulho de expressar suas emoções. A menopausa seria celebrada como o reconhecimento público pelo “dever cumprido” para com a perpetuação da espécie.

 

E se... homemem gravidar


Tem que ter peito!

A amamentação seria praticada em qualquer lugar, com orgulho. Mesmo na nossa realidade, homens podem amamentar, pois já têm glândulas mamárias, mamilos e os hormônios para a produção de leite. Em 2002, foi amplamente documentado o caso de um pai do Sri Lanka, de 38 anos, que amamentou a filha após a morte da mãe.

 

Aborto para todos

Os homens nunca admitiriam que outros lhes dissessem o que fazer com o corpo. Resultado: o aborto seria legalizado. O anticoncepcional e a pílula do dia seguinte teriam sido inventados muito antes – e seriam distribuídos gratuitamente. Além disso, técnicas para facilitar o parto, como a anestesia e a cesariana, existiriam há muito tempo.

 

CONSULTORIA Joyce McFadden, psicanalista e autora de Your Daughter’s Bedroom: Insights for Raising Confident Women, Gloria Steinem, jornalista e ativista feminista, Patrick Anderson, professor de história da cultura da Universidade da Califórnia, André Chevitarese, professor de história antiga da UFRJ

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
Aceito receber ocasionalmente ofertas especiais e de outros produtos e serviços do Grupo Abril.
Política de Privacidade