Clique e assine a partir de 8,90/mês

Já houve tentativas de paz entre Israel e Palestina?

Houve várias, mas por enquanto sem sucesso; confira a evolução do conflito, que começou nos anos 30

Por Tiago Cordeiro - 20 jan 2014, 17h45

Sim. A mais importante foi realizada em setembro de 1993, durante um encontro histórico na Casa Branca. Judeus e palestinos conviviam em relativa paz quando a região pertencia ao Império Turco-Otomano. Com o desmantelamento do império após a 1ª Guerra Mundial, em 1918, os ingleses estabeleceram uma colônia.

A partir de então, os dois grupos passaram a sonhar com seu próprio país. Desde o século 19, muitos judeus imigraram para a Palestina, reforçando a causa sionista, que lutava por um Estado judaico. Nos anos 1930, 170 mil judeus já viviam na região, e os desentendimentos começaram a surgir.

Em 1948, após o fim da 2ª Guerra Mundial, esse grupo formou um novo país, Israel, e o espaço palestino foi ficando cada vez menor – eles passaram a ocupar pedaços estreitos e separados de território, como a Faixa de Gaza e a Cisjordânia. Isso desencadeou o conflito entre as duas etnias. Em junho de 1967, aconteceu a Guerra dos Seis Dias, o primeiro confronto armado.

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Conflito sem fim – Conheça os principais acordos de paz feitos na briga por território

1. 1967

A Guerra dos Seis Dias resultou em várias áreas palestinas ocupadas por tropas israelenses. Uma resolução do Conselho de Segurança da ONU estabeleceu que elas deveriam deixar essas áreas, o que foi cumprido apenas parcialmente. Mesmo assim, surgia o método que ainda hoje guia as tentativas de acordo entre Israel e Palestina: a troca de terra por paz.

Continua após a publicidade

2. 1993

Após 26 anos de tentativas frustradas, um acordo foi assinado em 13 de setembro de 1993, em Washington. O encontro reuniu o presidente dos EUA Bill Clinton, o líder da Organização para a Libertação da Palestina Yasser Arafat e o premiê israelense Yitzhak Rabin. Um ano depois, Rabin foi assassinado e seu sucessor recuou em vários dos compromissos firmados.

3. 2000

O acordo de Camp David, de 2000, foi firmado entre Clinton, Arafat e o então premiê de Israel, Ehud Barak. Israel ofereceu a Faixa de Gaza e parte da Cisjordânia, mas não abriu mão de algumas áreas. Já os palestinos queriam a reversão total das fronteiras antes da guerra de 1967. O novo impasse ajudou a dar início à segunda Intifada, o levante armado palestino.

Continua após a publicidade

4. 2007

A partir de 2002, um bloco diplomático encabeçado pela ONU tentou convencer os dois lados a dialogar. O resultado foi a Conferência de Annapolis, de 2007, que reuniu o premiê israelense Ehud Olmert e o presidente da OLP Mahmoud Abbas. Mas o grupo palestino Hamas, que tinha acabado de ocupar Gaza, declarou que não apoiaria nenhuma decisão.

Mãos atadas

israel-palestina1

Continua após a publicidade

O aperto de mão entre Rabin e Arafat em 1993 foi um gesto de paz inédito. Mas extremistas de ambos os lados se sentiram ofendidos.

Publicidade