GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Mick Jagger está no Brasil! Será que ele derruba um presidente?

Desde 2010, todo mundo para quem Jagger torce, perde. Será que ele está torcendo por Temer?

O cantor Mick Jagger, vocalista dos Rolling Stones e lenda viva do rock, está no Brasil para o aniversário de 18 anos do filho Lucas, segundo noticiou o UOL. Jagger, além de ter emplacado dezenas de hits com sua banda desde os anos 60, também é famoso por ser um tremendo pé frio.

Jagger desembarcou no país na quarta-feira, 17/5, mesmo dia em que reportagem do jornal O Globo denunciou que o presidente Michel Temer apoiou esquema de propina para comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), atualmente preso.

O cantor ganhou fama de pé-frio em 2010, quando compareceu às oitavas-de-final da Copa da África e torceu pelos EUA, que perderam para Gana por 2 a 1, sendo eliminados. Na mesma Copa, Jagger foi ao jogo entre Alemanha e Inglaterra e viu seu país natal perder por 4 a 1.

Então, nas quartas de final, Jagger passou a torcer pelo Brasil, até por causa de seu filho brasileiro Lucas. Ele foi ao estádio ver Brasil contra Holanda e não deu outra: nossa seleção perdeu por 2 a 1. Depois disso, Jagger resolveu torcer pra Argentina – que foi eliminada por 4 a 0 pela Alemanha em outro jogo em que ele estava.

E você acha que acabou por aí? Não! Pouco antes da Copa de 2014, em um show em Portugal, Jagger anunciou que a seleção lusitana iria ganhar o campeonato mundial. Foi um presságio para o desastre: os portugueses foram eliminados ainda na fase de grupos.

Jagger veio ao Brasil para a Copa e demonstrou seu apoio à seleção inglesa por meio de tweets. Antes dos jogos contra Itália e Uruguai, ele foi à rede social demonstrar seu apoio. Em ambos os jogos, porém, a Inglaterra perdeu por 2 a 1, sendo eliminada ainda na fase de grupos após um empate contra a Costa Rica. O cantor então passou a anunciar sua torcida para a Itália, que, é claro, perdeu para Uruguai e Costa Rica e também vazou cedo do torneio.

Como se não bastasse, Jagger esteve no Mineirão torcendo para o Brasil no fatídico dia em que perdemos por 7 a 1. Entrevistado, ele até ironizou: “Eu posso assumir a responsabilidade pelo primeiro gol da Alemanha, mas não pelos outros seis!”. Precisa de mais para comprovar o pé-frio?

Fica agora a questão: depois de derrubar oito seleções, será que Jagger é capaz de derrubar um presidente? Ficaremos atentos.

 (Mundo Estranho/Mundo Estranho)