Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O que provoca os deslizamentos de terra?

Entenda os fatores que facilitam – e intensificam – este tipo de tragédia.

Por Victor Bianchin Atualizado em 28 nov 2018, 11h53 - Publicado em 22 dez 2011, 17h40

Ele sempre começa com a ruptura do solo de uma encosta – que, por sua vez, precisa ser desencadeada por alguma coisa. O agente causador mais conhecido são as chuvas. Mas também há outros, como terremotos, erupções vulcânicas e vibrações causadas por máquinas.

Deslizamentos são fenômenos naturais: podem ocorrer mesmo que a área esteja com sua vegetação intacta. Mas a ação humana pode facilitar sua ocorrência e aumentar os estranhos.

Filipe Campoi/Mundo Estranho

LEIA TAMBÉM

– Qual foi a pior erupção vulcânica do mundo?

– Quais foram os maiores terremotos de todos os tempos?

– Quais são as principais ameaças de desastres ecológicos no Brasil?

1)Plantas salvadoras

O desmatamento de encostas e as ocupações irregulares em morros são considerados “fatores de risco”  para deslizamentos. Primeiro, porque a vegetação costuma amenizar o impacto da chuva, já que suas raízes ajudam a estabilizar o solo.

Continua após a publicidade

Mas nem todo tipo de planta ajuda. Bananeiras, por exemplo, têm raízes fracas e troncos pesados, que causam muito estrago quando caem. Além disso, há o “efeito alavanca”: quando o vento chacoalha uma árvore dessas, suas raízes deslocam a terra e acabam piorando a situação.

2)Ladeira abaixo

A forma como o solo se organiza também influencia o deslizamento – quanto mais compacto o solo, mais seguro ele tende a ser. Os terrenos argilosos, portanto, têm vantagem sobre os mais arenosos, por formar uma massa mais “encorpada”.

Outro fator que pode proteger ou condenar um terreno é a inclinação. A maioria das tragédias ocorre em encostas reclinadas em ângulos que variam entre 20 e 35º.

Menos do que isso, o risco de deslizamentos diminui. Mais que isso, pode até rolar muita terra ladeira abaixo, mas o número de vítimas vai ser bem menor – afinal, o ângulo dificulta a construção (e a ocupação) de casas, estradas, e outras estruturas.

3)Corrida de obstáculos

A chuva em um terreno inclinado sempre vai formar canais pelos quais a água escorre – eles são chamados de “rede de drenagem”. Não precisam ser canos nem calhas artificiais: a própria natureza se encarrega de criar esses “caminhos”. Num caso de deslizamento, porém, esses canais ajudam a espalhar o problema.

A terra e os detritos caem na rede e podem se dividir por meio dela, multiplicando a área de devastação e arrastando materiais para regiões relativamente distantes.

4)Moradas erradas

Nenhuma intervenção piora mais a situação que a ocupação irregular. Primeiro, porque as construções vão eliminando a cobertura vegetal da área. Segundo, porque a terra extraída para aplainar o morro na área habitada geralmente é jogada para baixo e fica “solta”. Por último, porque as vilas criadas nas encostas criam lacunas, que podem “canalizar” (e intensificar) os deslizamentos.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)