Clique e assine a partir de 5,90/mês

Quais os fãs-clubes mais bizarros do mundo?

Do povo que ama ratos à galera que já foi dada como morta, listamos os mais estranhos

Por Nathália Braga - Atualizado em 4 jul 2018, 20h15 - Publicado em 1 dez 2015, 10h32

ILUSTRA Estudio Rufus

  • The Rat Fan Club

REQUISITO Curtir ratos

O fã-clube do rato foi criado em 1992 pela norte-americana Debbie Ducommun, que se orgulha em dizer que tem 21 deles em sua casa. Chegou a alcançar 600 membros em 12 países diferentes. Hoje em dia, é um site com informações sobre como adotar e cuidar dos roedores. A fundadora diz acreditar que cuidar de ratos é a missão de Deus para ela na Terra

  • The Pig Next Door

REQUISITO Adorar bacon

O clube envia a seus membros um pacote de bacon gourmet por mês. Seis meses de assinatura custam cerca de R$ 400. A justificativa está no site: “O bacon é tratado com uma fumaça líquida e mergulhado em água salgada, para então ser cortado e embalado”. Segundo eles, é por não ter esse tratamento que o bacon de supermercado encolhe quando cozinha

  • The Beefsteak Club

REQUISITO Amar bife

Foi fundado em Londres no século 18 e se tornou símbolo de exclusividade, sendo que até mesmo o rei George VI, na época ainda príncipe de Gales, teve que ficar na fila de espera para fazer parte, já que só se permitem 24 membros por vez. As reuniões envolvem finíssimos jantares. Na época em que foi fundado, os membros vestiam um casaco azul com um distintivo dizendo “Bife e liberdade”

  • The Giga Society

REQUISITO Ter QI alto

São seis unidades – duas nos EUA e quatro na Europa. E existe apenas uma regra para fazer parte: ter um nível de quociente de inteligência (QI) acima de 195, obtendo essa pontuação em um dos testes aceitos pela sociedade. O nível de QI classificado como “normal” é entre 90 e 109. Alguém aí se habilita?

  • Antique Poison Bottle Collection

REQUISITO Colecionar veneno antigo

Colecionadores do objeto se reúnem para trocar informações e compartilhar experiências sobre frascos velhos de veneno. Sediado no Canadá, o clube cobra pouco menos de R$ 40 para quem quiser se associar. Pagando essa taxa, você recebe as newsletters informativas e pode vender ou comprar garrafas para expandir sua coleção

  • The Woodcock Club

REQUISITO Atirar em pássaros de certo jeito

Qualquer pessoa que seja capaz de atirar em um pássaro da espécie Woodcock com tiros consecutivos, e sem mexer a arma, é considerada realizadora do movimento “right and left” (direita e esquerda). E, desde que o feito tenha duas testemunhas, dá direito a fazer parte desse clube criado em 1949. A cada ano, o grupo faz um jantar de gala para arrecadar fundos para uma instituição voltada à pesquisa e gestão de vida selvagem

Continua após a publicidade

CURIOSIDADE De acordo com o site, a Irlanda é o país com mais membros (cerca de 1.400 no total), já que a espécie é comum no país

  • The Ejection Tie Club

REQUISITO Ejetar-se de aeronave

Para ser membro, não basta apenas ser piloto e já ter se ejetado de seu veículo em uma situação de emergência. Também é preciso que o assento ejetável seja da marca Martin Baker, empresa que criou o clube. De acordo com o site oficial, há mais de 5 mil sobreviventes, quer dizer, membros. Ao sobreviver à aventura, o piloto ganha uma gravata e um distintivo

  • Seven Society

REQUISITO Desconhecido

Nasceu na Universidade de Virgínia, nos EUA, em 1905. Muito mistério envolve tudo o que é relacionado à organização, que admite apenas sete membros por ano, sendo que os mesmos só têm sua associação revelada quando morrem. Apesar de secreta, é conhecida por atos beneficentes, como deixar presentes no campus da universidade e fazer doações anônimas de bolsas de estudo aos colegas

  • Men’s Long Hair Hyperboard

REQUISITO Ser um homem cabeludo

Trata-se, na verdade, de um mural (meio confuso) de mensagens entre homens que não curtem um barbeiro. Trocam ideias sobre produtos, técnicas de pentear, caspas, estilos de cabelos longos preferidos e até a intrigante questão de como não molhar os cabelos na hora do banho. Orgulhosos, os donos dos perfis fazem questão de mostrar há quanto tempo não cortam a juba

  • The Association of the Dead

REQUISITO Ser dado como morto

Localizado na Índia, reúne pessoas que foram consideradas mortas pelo governo, mas estão vivinhas da silva. Em geral, os documentos que as declaram mortas são falsos e usados para que outros se apossem de suas terras. O drama começou há 38 anos, quando Lal Bihari, o fundador, foi vítima do golpe. Ele diz ter ajudado cerca de 500 pessoas a serem declaradas vivas de novo

FONTES Daily Mail, Telegraph, Gulf News, Mental Floss, Improbable.com e sites dos fã-clubes

LEIA MAIS

– Você sabia que existem colecionadores de falsificações?

– Como começar uma coleção de selos?

Continua após a publicidade
Publicidade