GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como o HIV é transmitido para o bebê durante a gravidez?

A transmissão pode ocorrer pela placenta, no parto ou na amamentação. Mas esse risco pode ser controlado com medicamentos e medidas certas

Bolsa de grávida Bolsa de grávida

Bolsa de grávida (/)

ILUSTRA Maíra Valentin

Chances remotas

A placenta, que transfere ao bebê nutrientes e oxigênio do sangue da mãe, pode também “deixar passar” o vírus HIV, que causa a aids. Mas, se o acompanhamento pré-natal for realizado corretamente, essa probabilidade é menor que 2%. A chamada transmissão vertical (ou seja, de mãe para filho) é mais arriscada durante o parto e no período da amamentação

Sob controle

Toda gestante deve ser testada para o vírus já na primeira consulta. Em caso positivo, começa a tomar os antirretrovirais, para manter a carga de HIV baixa e a contagem de células de defesa alta. O início do tratamento e as doses são determinados pelo médico e pela saúde da grávida – o excesso de enjoo e vômito, por exemplo, pode afetar a eficácia dos remédios

Hora marcada

Durante o parto normal pode ocorrer, por exemplo, uma perfuração da placenta, o que aumenta a chance de contato do recém-nasico com o sangue da mãe. Por isso, geralmente, recomenda-se o agendamento de uma cesariana. Outros cuidados sugeridos são o rápido “fechamento” do cordão umbilical e o banho no neném

Longe do peito

O recém-nascido também começa um breve tratamento com antirretrovirais, até sua sexta semana de vida. E ele não poderá se amamentar no peito – terá que ir direto para amamadeira. Assim como o sangue, o sêmen e as secreções vaginais, o leite materno também transmite o HIV. Se quiser, a mãe soropositiva pode tomar remédios para “secar” a lactação

LEIA MAIS

Como o vírus HIV age no organismo?

Como é a vida de um soropositivo?

Por que não é possível contrair aids por meio de uma picada de mosquito?

Como é feito um teste de detecção do HIV?

CONSULTORIA Heloisa Brudniewski, médica especialista em ginecologia e obstetrícia (SP), e Marco Antonio Moreira Rangel Junior, médico cardiologista, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia