GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

É melhor pegar a gripe suína agora, antes da 2ª onda

Quem disse? Contrair o vírus é arriscar a vida, sem nenhuma garantia de imunidade no futuro

Texto Giselle Hirata

Você já deve ter ouvido alguém dizendo essa besteira. Seria cômico se não fosse irresponsável. Expor-se ao vírus da gripe A (H1N1) é colocar sua vida em risco e colaborar com a disseminação da doença. Fazê-lo de propósito, então, nem se fala. Seria uma burrice inominável. Não há garantia de que, contraindo a gripe agora, você estará a salvo da 2ª onda, talvez mais forte que a 1ª. O motivo é simples: pode ser que o vírus volte com mutações, tornando inúteis os anticorpos desenvolvidos pelo organismo de quem pegou a gripe suína nesta 1ª leva.

É impossível prever a evolução da pandemia. Pode ser que o vírus permaneça como está, sem sofrer mutação alguma, e não ofereça perigo maior do que já oferece. Mas também pode ser que ele volte mais resistente, contagioso e letal. O que se sabe é que a gripe tornará a circular pelo hemisfério norte ainda em 2009 e retornará ao Brasil no inverno de 2010. Até o fechamento desta edição, não existia uma vacina. E o número de mortos, pelas contas da Organização Mundial da Saúde (OMS), já chegava perto dos 3,5 mil. A única atitude inteligente a ser tomada, portanto, é evitar ser infectado.

Alguns procedimentos muito simples podem ajudá-lo a driblar a gripe, tanto na 1ª quanto na 2ª ondas. Sempre que possível, fuja de aglomerações e locais fechados, onde o contágio pela proximidade com pessoas infectadas é facilitado. Cubra o nariz e a boca quando tossir ou espirrar. E lave as mãos constantemente. Se aparecer algum sintoma da doença (febre alta, dores nas juntas e nos músculos, irritação nos olhos, tosse), procure um médico e tente não sair de casa por, pelo menos, 7 dias.

O vírus da 1ª onda já infectou quase 300 mil pessoas em todo o mundo. O continente que mais sofre é o americano, com aproximadamente 75% do total de mortos. EUA, México, Brasil, Argentina e Chile são os recordistas de casos fatais até aqui.

 

Pandemia em curso
Desde os primeiros casos no México, em abril de 2009, já são quase 300 mil pessoas contaminadas ao redor do planeta

1. DE ONDE O VÍRUS SAIU
Diferentes vírus das gripes aviária, suína e humana infectaram porcos criados em fazendas do México, dando origem a uma nova cepa, que reuniu genes de todos eles.

2. ALTAMENTE CONTAGIO
A capa exterior do novo vírus é formada por duas proteínas: hemaglutinina (H1) e neuraminidase (N1). Por causa da mistura de material genético, ele é altamente contagioso.

3. PRIMEIROS CONTÁGIOS
A cepa híbrida foi transmitida dos porcos para seres humanos. Incapaz de reconhecer a ameaça, nosso sistema imunológico não cria anticorpos para combatê-la.

4. FORA DE CONTROLE
Batizado H1N1, o vírus da gripe suína começou a se espalhar de pessoa para pessoa com extrema rapidez. O contágio se dá pelo ar ou pelo toque em objetos contaminados.

5. MILHARES DE MORTOS
Até o fechamento desta edição, o número de mortes da gripe suína já chegava perto de 3,5 mil. Quase 300 mil pessoas estavam contaminadas em todo o mundo.