GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Empanturre-se com moderação

Nos EUA e na Europa, grandes empresas convencem seus clientes a adotarem hábitos saudáveis, com o objetivo de diminuir a chance de problemas de saúde e futuros pedidos de indenização na Justiça.

Marcos Nogueira

Coma um hambúrguer duplo hoje, mas amanhã caminhe 3 quilômetros e almoce uma salada de folhas. Esse parece ser o tom das campanhas dos gigantes da indústria alimentícia, especialmente daquelas empresas que nunca foram conhecidas por fazer bem à saúde do cliente. Nos Estados Unidos e na Europa, empresas como o McDonald’s, a Pepsi, a Coca-Cola e a Unilever, que fabrica um monte de guloseimas industrializadas, da maionese Hellman’s ao sorvete Magnum, estão tentando convencer seus clientes a adotar hábitos saudáveis. Assim diminui a chance de que eles engordem ou adoeçam por conta do abuso – e se tornem possíveis pleiteantes a indenizações rechonchudas na Justiça.

Os processos já começaram a pipocar, e o pessoal da fast food está com medo de se transformar no saco de pancada jurídico que se tornou a indústria do tabaco – os fabricantes de cigarros perderam inúmeras causas e um oceano de dinheiro para fumantes combalidos pelo vício. O império do hambúrguer com refrigerante nega que as campanhas de incentivo à vida saudável sejam para evitar processos. Mas, se os gordinhos americanos resolverem se mobilizar, essa turma tem muito o que temer: nada menos que 60% da população do país está acima do peso.

Nos Estados Unidos, um grupo de empresas que inclui as megaconcorrentes Coca e Pepsi financiou uma campanha milionária para conter o avanço da obesidade infantil. O projeto é idealizado pela fundação International Food Information Council, organização educacional que se dedica a divulgar os princípios da alimentação saudável. Susan Borra, nutricionista da fundação, diz que não existe contradição no fato de a campanha ser paga pelos supostos vilões da alimentação irresponsável. “É possível ir ao McDonald’s, que está entre nossos patrocinadores, e se alimentar bem, desde que você coma também frutas frescas e legumes e beba leite, tudo em porções sensatas”, afirmou ao jornal inglês The Guardian. Hoje, o risco de uma criança americana se tornar um adulto obeso é de 25%.

Além da campanha conjunta, os titãs da fast food decidiram promover ações isoladas. Na França, o McDonald’s publicou informes publicitários em revistas femininas, com dados sobre dietas e conselhos de nutricionistas. A Coca-

Cola criou nos Estados Unidos um programa chamado Step with it! (expressão que significa algo como “pé na tábua!” ou “mova-se!”). A campanha tenta convencer crianças em idade escolar a praticar exercícios e estipula uma meta diária de caminhada para cada jovem – 10 mil passos. A empresa distribui até um aparelho que conta as pernadas. Quer apostar que a moda chega logo ao Brasil?

Não é piada.

As empresas de fast food estão propagandeando hábitos saudáveis