Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Estudo derruba a principal tese sobre o Alzheimer

Mais um remédio fracassa nos testes clínicos – e a “teoria amiloide" perde força.

Por Bruno Garattoni Atualizado em 1 ago 2022, 17h35 - Publicado em 15 jul 2022, 10h13

Nas pessoas que sofrem de Alzheimer, o cérebro tem excesso da proteína beta-amiloide: essa substância se acumula e forma placas, que supostamente atrapalham o fluxo de sinais entre os neurônios (causando perda de memória e outros sintomas cognitivos).

Essa é a teoria amiloide”, a mais aceita para explicar a doença. Mas, no começo deste ano, essa tese sofreu um duro golpe com o fracasso clínico do aducanumab, um remédio que foi criado pelo laboratório americano Biogen e consegue remover essas placas do cérebro – mas, mesmo assim, não evita ou reduz os sintomas do Alzheimer.

Agora, aconteceu de novo. Desta vez com o crenezumab, um medicamento experimental que está sendo desenvolvido pela suíça Roche e também age eliminando as placas amiloides.

A droga foi testada por oito anos em pessoas que carregam a mutação genética 1E280A, ligada ao surgimento precoce do Alzheimer – mas, segundo a empresa, não desacelerou ou preveniu o declínio cognitivo” delas.

Compartilhe essa matéria via:

Continua após a publicidade

Publicidade
Saúde
Estudo derruba a principal tese sobre o Alzheimer
Mais um remédio fracassa nos testes clínicos – e a “teoria amiloide" perde força.

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade