Clique e assine a partir de 8,90/mês

Mulher toca violino durante cirurgia no cérebro; veja vídeo

Objetivo era guiar os médicos para garantir que a área do cérebro responsável pelo movimento das mãos não fosse afetada.

Por Bruno Carbinatto - Atualizado em 20 fev 2020, 17h47 - Publicado em 20 fev 2020, 17h34

A cena é digna de séries como Grey’s Anatomy ou House: uma musicista tocou violino enquanto passava por uma cirurgia para retirar um tumor do cérebro. O objetivo da performance era guiar os médicos para evitar danificar áreas cerebrais responsáveis pelos movimentos de sua mão esquerda – que é essencial para tocar o instrumento.

O episódio aconteceu no hospital do King’s College de Londres, no Reino Unido. E a paciente violinista é Dagmar Turner, de 53 anos, que foi diagnosticada com um glioma (tumor cerebral) em 2013. À época, ela teve uma convulsão durante uma apresentação da orquestra que participa, a Orquestra Sinfônica da Ilha de Wight. A paciente escolheu ser submetida a cirurgia quando o tumor se tornou mais agressivo.

O problema é que o câncer estava localizado em seu lobo frontal, muito próximo a regiões que regulam movimentos suaves e a coordenação de sua mão esquerda. Se danificadas, essas áreas poderiam afetar permanentemente sua habilidade musical. Por isso a equipe precisou bolar um plano específico. O fato do cirurgião principal também ser apaixonado por música pode ter ajudado: além de médico, Keyoumars Ashkan também é pianista profissional.

A equipe passou mais de duras horas mapeando o cérebro da paciente enquanto ela tocava violino, para identificar quais áreas eram ativas no processo e que, portanto, deveriam ser evitadas durante a cirurgia. Mas os médicos foram além e propuseram que a musicista fosse acordada durante o procedimento para tocar e garantir que nenhum erro passasse – e ela topou. Veja o vídeo abaixo: 

A cirurgia foi um sucesso: a equipe conseguiu retirar 90% do tumor, incluindo suas partes mais agressivas, e a paciente não teve seus movimentos das mãos afetadas. “O violino é minha paixão. Toco desde os 10 anos de idade”, disse Dagmar em um comunicado. “A possibilidade de perder essa habilidade me partia o coração, mas o dr. Ashkan entendeu minhas preocupações. Graças a eles espero voltar à orquestra o quanto antes.”

Não é incomum que pacientes fiquem ativos durante cirurgias no cérebro. Muitas cirurgias exigem que testes de raciocínio e lógica sejam feitos enquanto o procedimento acontece para garantir que nenhuma área importante do cérebro esteja sendo afetada. “Realizamos cerca de 400 ressecções (remoção de tumores) todos os anos, que geralmente envolvem testes de linguagem durante a cirurgia, mas foi a primeira vez que um paciente tocou um instrumento musical”, comentou Ashkan.

Em 2014, um episódio parecido aconteceu em Israel, quando uma mulher também com tumor no cérebro tocou violino durante sua cirurgia. 

Continua após a publicidade
Publicidade