Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Não é pela cabeça que a gente perde mais calor

Esse mito nasceu de experiências furadas da década de 1950. Perde-se tanto calor pela cabeça quanto por qualquer outra parte do corpo

Por Gustavo Simon Atualizado em 7 mar 2017, 17h05 - Publicado em 6 abr 2012, 22h00

Tem muito manual de sobrevivência por aí que recomenda proteger a cabeça com um gorro ou coisa parecida em ambientes muito frios – afinal, é por ela que a gente perde de 40% a 45% do calor corporal. Ignore esses números, eles estão completamente furados. Segundo uma dupla da Universidade de Indiana, nos EUA, perde-se tanto calor pela cabeça quanto por qualquer outra parte do corpo.

Em um artigo publicado no British Medical Journal, os pesquisadores Reachel Vreeman e Aaron Carroll – especialistas em derrubar mitos da medicina – afirmam que a origem dessa lenda está em experiências furadas feitas por militares americanos na década de 1950. Nesses testes, voluntários foram vestidos com roupas de sobrevivência no Ártico e expostos a condições de frio extremo. Como a única área do corpo desprotegida era a cabeça, foi por ela que escapou a maior parte do calor.

A cabeça é uma das partes do corpo mais sensíveis a mudanças de temperatura, dizem Vreeman e Carroll. Na verdade, não só ela, mas outras extremidades, como as mãos e os pés. “São áreas com vascularização periférica muito mais rica, e é pelas veias superficiais que o calor de órgãos e músculos acaba sendo trocado com o ambiente”, explica o fisiologista Orlando Laitano, professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Em ambientes muito frios, porém, os vasos sanguíneos se contraem – justamente para evitar perda de calor excessiva.

Vem daí a sensação de que só é possível ficar confortável e realmente aquecido quando se usa um gorro. Mas o efeito de proteger a cabeça é o mesmo do de vestir luvas, calçar meias de lã ou agasalhar o tórax. De acordo com os pesquisadores da Universidade de Indiana, você não perderia mais do que 10% de calor pela cabeça nem que saísse pelado para um passeio na neve.

MICROCLIMA

Quando usamos agasalhos e colocamos um gorro na cabeça, criamos uma espécie de “microclima” quentinho entre o nosso corpo e o ambiente. Em vez de se dissipar, o calor que nosso próprio corpo produz esquenta o ar entre a pele e a roupa. É por isso que nos sentimos aquecidos.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

Impressa + Digital

Plano completo da Super! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 12,90/mês