Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

O jeito mais seguro de arrancar um carrapato da sua pele

Fuja dos mitos na hora de se livrar dos parasitas com essas dicas para uma remoção rápida e eficiente sem contrair doenças.

Por A.J. Oliveira 16 ago 2019, 20h03

Quem nunca voltou de um passeio no meio do mato com uma “lembrancinha” grudada na pele? De início parece uma nova pinta, mas é só olhar com mais atenção e passar o dedo no local para sentir o relevo e concluir que é um carrapato. 

Mas qual o melhor jeito de se livrar do bichinho sem colocar a saúde em risco? O site Mental Floss elaborou um pequeno “manual” sobre como extrair carrapatos com segurança. Sabemos que esses aracnídeos podem transmitir doenças, então é importante estar bem preparado para retirá-los da pele o quanto antes e reduzir as chances de contrair alguma patologia.

Aviso: não basta espremer os insetos ou recorrer a métodos ainda menos confiáveis. Existem mitos que prometem soluções milagrosas para eliminar um carrapato. Um deles, por exemplo, sugere acender um isqueiro para desgrudá-lo da pele com o calor da chama. Não faça isso: é perigoso e pouco eficiente. Provavelmente você vai acabar mais queimado que o pequeno sanguessuga.

  • Também não adianta esfregar sabão, álcool ou qualquer outra substância para enfraquecer o animal. Na dúvida, devemos sempre seguir o que recomendam as pesquisas. O recado delas é claro: use uma pinça. Dê preferência a instrumentos que tenham as pontas mais finas possíveis – isso dará maior precisão ao seu procedimento. Quanto mais perto da pele você prensar o bichinho, melhor.

    Puxe devagar e para cima de um jeito constante. Tente removê-lo inteiro, mas se a parte da boca ficar grudada, higienize a pinça e tire a segunda parte. Agora só falta jogar o carrapato fora, mas apenas colocá-lo no lixo não resolverá o problema, já que há o risco de ele se arrastar para fora e vir de novo para cima de você. A solução mais indicada é afogá-lo em um pote com álcool ou uma solução de água e sabão.   

    Outra ideia que não tem erro é jogar o aracnídeo na privada e dar a descarga. Se preferir o bom e velho lixo, certifique-se de enrolar o (pobre) carrapato em fita adesiva, para que ele fique imobilizado. E se sentir febre ou irritação no local da picada nas semanas seguintes, procure um médico imediatamente!

    Continua após a publicidade
    Publicidade