Clique e assine a partir de 8,90/mês

O Vaticano adverte: sexo faz bem a saúde

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h31 - Publicado em 31 dez 2004, 22h00

Bruno Vieira Feijó

Católicos precisam se conhecer mais, biblicamente falando. O conselho é de dois teólogos ligados ao Vaticano, que estudaram os evangelhos e garantem: os cristão devem fazer mais sexo (apenas os casados, que fique bem claro). A descoberta foi publicada num livro, Peccato Non Farlo (“Pecado é Não Fazer”, sem tradução em português), em que Roberto Beretta e Elisabetta Broli afirmam ter pesquisado documentos do Vaticano – incluindo aí escritos do papa João Paulo II. O texto também mostra cardeais que advogam “um materialismo saudável” e cita partes do Velho Testamento “explicitamente eróticas”, entre elas as primeiras palavras de Deus para Adão e Eva, algo como “multiplicai-vos e enchei a Terra de herdeiros”.

O livro não foi submetido à aprovação do Vaticano, mas traz uma entrevista com seu arcebispo-chefe, Ersilio Tonini, que afirma: “A Igreja não é inimiga da carne”. Por trás de tanta liberalidade, porém, há um objetivo cristão. Roberto e Elisabetta não escondem que adorariam frear a queda na taxa de natalidade entre os católicos italianos. E, assim, aumentar o rebanho de Deus.

Publicidade