Clique e assine a partir de 5,90/mês

Por que a gente tem medo de barata?

Simples: as malditas habitam os lugares onde jogamos tudo o que não presta para nós

Por Renata Magnenti - Atualizado em 31 Maio 2017, 18h23 - Publicado em 28 ago 2011, 22h00

É preconceito. O habitat de animais influencia no julgamento do ser humano, e, como as baratas vivem em locais como esgotos, ralos e lixos, onde se alimentam de detritos, elas não poderiam deixar de ser odiadas. Cupim e besouro, por exemplo, são insetos como esta criatura repugnante. Mas não temos medo deles. E ainda tem os fofinhos. “Algumas espécies de borboletas têm cores similares às das baratas, porém moram em árvores e em flores. Logo, nós as consideramos ‘graciosas’”, diz José Albertino Rafael, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Vale a mesma coisa para os ratos de esgoto e os hamsters. São roedores, mas um é odiado e o outro é bicho de estimação.

A psicologia dá outras explicações. Quando a memória registra um episódio ruim na infância, você não vai necessariamente se lembrar dele na fase adulta, mas um medo irracional pode permanecer. Esse pavor também pode vir de outros – por exemplo, de sua mãe subindo no sofá, gritando para o homem da casa se livrar do bichano.

Baratas…

… podem ter até 13 cm, como os baratões do gênero Blaberus, da Amazônia.

… vivem 5 meses.

… são divididas em 4 mil espécies espalhadas pelo mundo.

… botam ovos 8 vezes na vida, com 40 filhotes por vez.

… aguentam uma semana sem cabeça ou sem beber e até um mês sem comer.

… têm 300 milhões de anos.

Continua após a publicidade
Publicidade