GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Por quê, quando repetimos uma palavra, ela perde o sentido?

É no cérebro que o vocábulo se desliga de seu sentido

Há várias explicações. Esse fenômeno é encarado de formas diferentes dependendo da área de estudo: a linguística, a psicologia e a neurologia possuem interpretações distintas e não há uma que seja oficial. Apesar disso, é consenso que se trata de um fenômeno natural e reversível – ou seja, por mais que seja repetida, a palavra sempre volta a ter seu sentido original.

Veja também

COM O PERDÃO DA PALAVRA

Bloqueio mental

Para a neurologia, há situações em que o cérebro percebe que a repetição não é importante. Quando isso acontece, ele barra os estímulos, impedindo que cheguem ao córtex, região que processa memória, atenção, consciência, linguagem, percepção e pensamento. Resultado: produzimos o som, mas já não processamos a informação

Entra por um ouvido…

A psicologia sugere que nosso foco de atenção muda quando uma palavra é repetida de forma monótona, causando uma percepção diferente. Isto é, ficamos distraídos por causa da repetição e não processamos a informação como deveríamos. Em vez disso, focamos o ato de falar, o movimento dos lábios, a respiração e até assuntos sem relação com a palavra

Ligado nesse som

A linguística diz que a repetição fora de contexto faz com que a pessoa se afaste do significado da palavra (o conceito) para se aproximar de seu significante (a sonoridade). Ou seja: deixamos de nos relacionar com o que a palavra significa para nós e passamos a prestar atenção apenas no som

FONTES Denise Menezes, neurologista, Antonio Carlos Amador Pereira, professor do curso de psicologia da PUC-SP, Ana Luiza Navas, professora do cursode fonoaudiologia da Santa Casa de São Paulo, Ernesto Giovanni Boccara, pesquisador em semiótica da Unicamp e Jean Cristtus Portela, doutor em linguística da Unesp

Newsletter Conteúdo exclusivo para você