Clique e assine a partir de 8,90/mês

Vila italiana em quarentena se torna um laboratório a céu aberto

A cidade, que está absolutamente isolada, pode ter 100% de seus habitantes testados – e revelar dados melhores sobre a porcentagem de casos assintomáticos.

Por Carolina Fioratti - Atualizado em 6 abr 2020, 18h50 - Publicado em 6 abr 2020, 18h35

Tudo começou numa casa de repouso chamada Santissima Maria Immacolata, na vila de Nerola (perto de Roma, da Itália). Alguns idosos do local começaram a apresentar sintomas de Covid-19. E o problema se alastrou. Os velhinhos tinham tido contato com parentes, já que não havia restrição de visitas, e, naturalmente, com enfermeiros e médicos.

Em pouco tempo, 77 pessoas de Nerola já estavam infectadas, e duas faleceram. No dia 24 de março o asilo foi evacuado e a vila de 18 km² (4 km² a mais que o Beto Carrero World) teve que entrar em quarentena. Quarentena raiz. 

Nerola virou zona vermelha. Nenhum dos 1.900 habitantes pode sair ou entrar na cidade, que está cercada pelas forças armadas italianas. Sair só para ir ao mercado ou farmácia? Nem pensar. Todos os mantimentos devem ser entregues por agentes de segurança, que estão monitorando a vila. As autoridades, diga-se, deram uma exagerada. Tentaram até apagar a vila do mapa, retirando as placas que indicavam o caminho até a cidade. A prefeita Sabina Granieri reclamou, e no mesmo dia as sinalizações voltaram a seus postos.

Enquanto isso, uma equipe coordenada pelo Dr. Pierluigi Bartoletti, vice-presidente da Ordem dos Médicos de Roma, ficou responsável por testar todos os moradores da região. Mas o objetivo não é só cuidar da saúde dos pacientes, não. Além disso, os pesquisadores pretendem usar os habitantes de Nerola como cobaia para estudar o vírus.

Como? É que a cidade é pequena, o que facilita a testagem rápida. Então, os pesquisadores poderiam observar precisamente como o vírus se espalha na comunidade e também mapear o número de casos assintomáticos – algo que seria impossível numa cidade com milhões de habitantes. Se ficar claro que o número de assintomáticos é realmente grande, e incluir pessoas de todas as idades, será um indício de que o uso de máscaras em público é fundamental em qualquer lugar da Terra. E que, sim, os isolamentos precisam ser levados a sério, pois você mesmo pode estar transmitindo Covid-19 sem saber.

O fim da quarentena por lá está previsto para o dia 8 de abril. A data pode mudar ou não, vai depender do controle da Covid-19. Agora, só resta aguardar para saber que dados esse laboratório a céu aberto pode trazer. 

Continua após a publicidade
Publicidade